O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO V 1001

bora a certeza de perecer. Mas quem pode ter essa certeza? Quem disse que a Providência não reserva um meio inesperado de salvação no momento mais crítico? Não pode ela salvar mesmo aquele que estiver na boca de um canhão? Freqüentemente, pode ela querer prolongar a prova da resignação até seu último limite, quando uma circunstância inesperada desvia o golpe fatal. (SÃO LUÍS, Paris, 1860).

31. Aqueles que aceitam seus sofrimentos com resignação, por submissão à vontade de Deus e com vistas à sua felicidade futura, não trabalham senão para si mesmos, e podem tornar seus sofrimentos proveitosos aos outros?

Esses sofrimentos podem ser proveitosos a outrem, material e moralmente. Materialmente, se, pelo trabalho, as privações e os sacrifícios que se impõem contribuem para o bem-estar material do próximo; moralmente, pelo exemplo que dão de sua submissão à vontade de Deus. Esse exemplo do poder da fé espírita pode estimular os infelizes à resignação, salvá-los do desespero e de suas funestas conseqüências para o futuro. (SÃO LUÍS, Paris, 1860).