O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO VIII 1023

mer sem ter lavado as mãos não é o que torna um homem impuro.

Então seus discípulos, se aproximando dele, lhe disseram: Sabeis que os Fariseus, tendo ouvido o que acabais de dizer, disso se escandalizaram? Mas ele lhes respondeu: Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada. Deixai-os; são cegos que conduzem cegos; se um cego conduz um outro, ambos caem no fosso. (São Mateus, cap. XV, v. de 1 a 20).

9. Enquanto ele falava, um Fariseu pediu-lhe que jantasse em sua casa; e Jesus para lá se dirigindo, colocou-se à mesa. O Fariseu começou então a dizer para si mesmo: Por que não lavou as mãos antes do jantar? Mas o Senhor lhe disse: Vós outros, Fariseus, tendes grande cuidado em limpar o exterior do copo e do prato; mas o interior de vossos corações está cheio de rapinas e de iniqüidades. Insensatos que sois! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? (São Lucas, cap. XI, v. 37 a 40).

10. Os judeus haviam negligenciado os verdadeiros mandamentos de Deus, para se apegarem à prática dos regulamentos estabelecidos pelos homens e dos quais os observadores rígidos faziam casos de consciência; o fundo, muito simples, acabara por desaparecer sob a complicação da forma. Como era mais fácil observar os atos exteriores do que se reformar moralmente, lavar as mãos do que limpar seu coração, os homens se iludiram e se acreditaram quites para com Deus, porque se conformavam com essas práticas, permanecendo como eram, porque se lhes ensinava que Deus não pedia mais do que isso. Por isso, o profeta disse: É em vão que este povo me honra com os lábios, ensinando máximas e ordenações humanas.

Ocorreu o mesmo com a doutrina moral do Cristo, que acabou por ser colocada em segundo plano, o que fez muitos cristãos crerem, a exemplo dos antigos Judeus, sua salvação mais assegurada pelas práticas exteriores do que pelas da moral. É a essas adições, feitas pelos homens à lei de Deus, que Jesus fez alusão, quando disse: Toda planta que meu Pai celestial não plantou, será arrancada.

O objetivo da religião é conduzir o homem a Deus; ora, o homem não chega a Deus senão quando está perfeito; portanto, toda religião que não torna o homem melhor, não