O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO VIII 1026

para os Espíritos imperfeitos, rebeldes, obstinados no mal e que são rejeitados nos mundos que se tornaram felizes.

16. Mas ai daquele por quem o escândalo venha; quer dizer, o mal sendo sempre o mal, aquele que inconscientemente serviu de instrumento para a justiça divina, cujos maus instintos foram utilizados, não fez por isso menos mal e deve ser punido. É assim que, por exemplo, um filho ingrato é uma punição ou uma prova para o pai que o suporta, porque esse pai talvez tenha sido um mau filho que fez sofrer a seu pai, e que sofre a pena de talião; mas o filho disso não é mais desculpável e deverá ser castigado, a seu turno, em seus próprios filhos ou de uma outra maneira.

17. Se vossa mão é uma causa de escândalo, cortai-a; figura enérgica que seria absurdo tomar ao pé da letra, e que significa simplesmente que é preciso destruir em si toda causa de escândalo, isto é, de mal; extirpar de seu coração todo sentimento impuro e toda fonte viciosa; quer dizer, ainda, que valeria mais para um homem ter tido a mão cortada, do que essa mão lhe ter servido de instrumento para uma ação má; estar privado da vista, do que se seus olhos lhe tivessem dado maus pensamentos. Jesus nada disse de absurdo para todo aquele que apreende o sentido alegórico e profundo de suas palavras; mas muitas coisas não podem ser compreendidas sem a chave que delas nos dá o Espiritismo.

INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS

DEIXAI VIR A MIM AS CRIANCINHAS

18. O Cristo disse: "Deixai vir a mim as criancinhas". Essas palavras, profundas em sua simplicidade, não implicavam o simples chamamento das crianças, mas o das almas que gravitam nos círculos inferiores, onde a infelicidade ignora a esperança. Jesus chamava a si a infância intelectual da criatura formada: os fracos, os escravos, os viciosos; ele nada podia ensinar à infância física, sujeita à matéria, submetida ao jugo do instinto, e não pertencendo ainda à ordem superior da razão e da vontade, que se exercem em torno dela e por ela.