O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. I - DOS ESPÍRITOS 104

83 - Os Espíritos têm fim? Compreende-se que o prin-cípio de onde eles emanam seja eterno, mas o que perguntamos é se sua individualidade tem um termo e se, num tempo dado, mais ou menos longo, o elemento de que são formados não se dissemina e não retorna à massa donde saiu, como ocorre com os corpos materiais. É difícil de conceber-se que uma coisa que teve começo, possa não ter fim.

- Existem coisas que não compreendeis porque a vossa inteligência é limitada e isso não é razão para que as rejeiteis. A criança não compreende tudo o que seu pai compreende, nem o ignorante tudo o que o sábio compreende.

Dissemos que a existência do Espírito não tem fim; é tudo o que podemos dizer, por enquanto.

MUNDO NORMAL PRIMITIVO.

84 - Os Espíritos constituem um mundo à parte, fora daquele que vemos?

- Sim, o mundo dos Espíritos ou das inteligências incorpóreas.

85 - Na ordem das coisas, qual dos dois é o principal, o mundo dos Espíritos ou o mundo corpóreo?

- O mundo espírita; ele preexiste e sobrevive a tudo.

86 - O mundo corpóreo poderia deixar de existir, ou não ter jamais existido, sem alterar a essência do mundo espírita?

- Sim, eles são independentes; no entanto, sua correlação é incessante, porque reagem incessantemente um sobre o outro.

87 - Os Espíritos ocupam uma região determinada e circunscrita no Espaço?

- Os Espíritos estão por toda a parte. Povoam infinitamente os espaços infinitos. Estão sempre ao vosso lado, observando e agindo sobre vós sem o perceberdes, porque os Espíritos são uma das forças da Natureza e instrumentos de que Deus se serve para a realização dos seus desígnios providenciais; mas nem todos vão a toda parte, pois há regiões interditadas aos menos adiantados.