O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XI 1060

adiantamento moral, uma vez que se trata de saber se se deve expor a própria vida por um malfeitor. O devotamento é cego; socorre-se um inimigo, deve-se socorrer o inimigo da sociedade, numa palavra, um malfeitor. Credes que é somente à morte que se vai arrancar esse infeliz? É talvez a toda a sua vida passada. Porque, pensai nisso, nesses rápidos instantes que lhe arrebatam os últimos minutos da vida, o homem perdido volve sobre sua vida passada, ou antes, ela se ergue diante dele. A morte, talvez, chegue muito cedo para ele; a reencarnação poderá ser terrível; lançai-vos, pois, homens! vós a quem a ciência espírita esclareceu; lançai-vos, arrancai-o à sua condenação, e então, talvez, esse homem que morreria vos insultando, se atirará em vossos braços. Todavia, não é preciso perguntar-vos se o fareis ou não, mas ide em seu socorro, porque, salvando-o, obedeceis a esta voz do coração que vos diz: "Podes salvá-lo, salva-o!" (LAMENNAIS, Paris, 1862).