O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XIII 1084

não um encorajamento que viemos vos dar, não é senão para estimular vosso zelo e vossas virtudes que Deus nos permite nos manifestemos a vós; mas se se quisesse, não se teria necessidade senão da ajuda de Deus e da própria vontade; as manifestações espíritas não são feitas senão para os de olhos fechados e os corações indóceis.

A caridade é a virtude fundamental que deve sustentar todo o edifício das virtudes terrestres; sem ela, as outras não existem. Sem a caridade não há esperança num futuro melhor, nem interesse moral que nos guie; sem a caridade não há fé, porque a fé não é senão um raio puro que faz brilhar uma alma caridosa.

A caridade é a âncora eterna de salvação, em todos os globos: é a mais pura emanação do próprio Criador; é a sua própria virtude que ele dá à criatura. Como querer-se desconhecer essa suprema bondade? Qual seria, com esse pensamento, o coração bastante perverso para reprimir e expulsar esse sentimento todo divino? Qual seria o filho bastante mau para se rebelar contra esse doce carinho: a caridade?

Não ouso falar do que fiz, porque os Espíritos têm também o pudor de suas obras; mas creio aquela que comecei uma das que devem mais contribuir para o alívio dos vossos semelhantes. Vejo, freqüentemente, os Espíritos pedirem por missão continuar a minha tarefa; eu as vejo, minhas doces e caras irmãs, no seu piedoso e divino ministério; eu as vejo praticar a virtude que vos recomendo, com toda a alegria que proporciona essa existência de devotamento e de sacrifícios; é uma grande felicidade para mim ver quanto seu caráter é honrado, quanto sua missão é amada e docemente protegida. Homens de bem, de boa e forte vontade, uni-vos para continuar amplamente a obra de propagação da caridade; encontrareis a recompensa dessa virtude no seu próprio exercício; não há alegria espiritual que ela não dê desde a vida presente. Sede unidos; amai-vos uns aos outros segundo os preceitos do Cristo. Assim seja. (SÃO VICENTE DE PAULO, Paris, 1858).

13. Chamo-me caridade e sou a rota principal que conduz a Deus; segui-me, porque sou o objetivo a que todos deveis visar.