O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. I - DOS ESPÍRITOS 115

eles, uma doce ocupação. São designados às vezes sob o nome de anjos, arcanjos ou serafins.

Os homens podem entrar em comunicação com eles, mas bem presunçoso seria aquele que pretendesse tê-los constantemente às suas ordens.

PROGRESSÃO DOS ESPÍRITOS.

114 - Os Espíritos são bons ou maus por natureza, ou são eles mesmos que se melhoram?

- São os próprios Espíritos que se melhoram e, melhorando-se, passam de uma ordem inferior para uma ordem superior.

115 - Entre os Espíritos, alguns foram criados bons e outros maus?

- Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, quer dizer, sem ciência. Deu a cada um determinada missão com o fim de esclarecê-los e fazê-los alcançar, pro-gressivamente, a perfeição para o conhecimento da verdade e para aproximá-los dele. A felicidade eterna e pura é para aqueles que alcançam essa perfeição. Os Espíritos adquirem esses conhecimentos, passando pelas provas que Deus lhes impõe. Alguns aceitam essas provas com submissão e alcan-çam mais prontamente o fim de sua destinação. Outros não as suportam senão murmurando e, por suas faltas, perma-necem distanciados da perfeição e da felicidade prometida.

- Segundo isto, os Espíritos seriam em sua origem, como são as crianças, ignorantes e sem experiência, adqui-rindo pouco a pouco os conhecimentos que lhes faltam em percorrendo as diferentes fases da vida?

- Sim, a comparação é justa; a criança rebelde permanece ignorante e imperfeita; segundo sua docilidade, ela aproveita mais ou menos. Todavia, a vida do homem tem um termo e a dos Espíritos se estende ao infinito.

116 - Há Espíritos que permanecerão perpetuamente nas ordens inferiores?

- Não; todos se tornarão perfeitos. Eles mudam de ordem mas, lentamente; porque, como já dissemos de outra vez,um pai justo e misericordioso não pode banir eternamente