O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XIX 1152

disse aos seus apóstolos: se não curastes é que não tínheis a fé.

A FÉ RELIGIOSA. CONDIÇÃO DA FÉ INABALÁVEL

6. Do ponto de vista religioso, a fé é a crença nos dogmas particulares que constituem as diferentes religiões; todas as religiões têm os seus artigos de fé. Sob este aspecto, a fé pode ser raciocinada ou cega. A fé cega, não examinando nada, aceita sem controle o falso como verdadeiro, e se choca, a cada passo, contra a evidência e a razão; levada ao excesso, produz o fanatismo. Quando a fé repousa sobre o erro, ela se destrói, cedo ou tarde; a que tem por base a verdade é a única segura do futuro, porque não tem nada a temer do progresso das luzes, já que o que é verdadeiro na obscuridade, o é igualmente em plena luz. Cada religião pretende estar na posse exclusiva da verdade; preconizar a fé cega sobre um ponto de crença, é confessar impotência em demonstrar que se tem razão.

7. Diz-se vulgarmente que a fé não se prescreve; daí muitas pessoas dizerem que não é por sua culpa, se não têm fé. Sem dúvida, a fé não se prescreve, e o que é ainda mais justo: a fé não se impõe. Não, ela não se recomenda, mas se adquire, e não há ninguém que esteja privado de possuí-la, mesmo entre os mais refratários. Falamos das verdades espirituais fundamentais, e não desta ou daquela crença particular. Não cabe à fé ir a eles, mas a eles irem ao encontro da fé, e se a procuram com sinceridade, a encontrarão. Tende, pois, por certo que aqueles que dizem: "Não queríamos nada melhor do que crer, mas não o podemos", o dizem dos lábios e não do coração, porque em dizendo isso tapam os ouvidos. As provas, entretanto, se multiplicam ao seu redor; por que, pois, se recusam em vê-las? Nuns, é negligência; em outros, medo de serem forçados a mudar seus hábitos; na maioria, é o orgulho que recusa reconhecer uma potência superior, porque lhes seria preciso se inclinarem diante dela.

Em certas pessoas, a fé parece de alguma sorte inata; uma centelha basta para desenvolvê-la. Essa facilidade em assimilar as verdades espíritas é um sinal evidente de progresso anterior; em outros, ao contrário, elas não penetram