O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XIX 1153

senão com dificuldade, sinal não menos evidente de uma natureza atrasada. Os primeiros já creram e compreenderam; trazem, ao renascer, a intuição do que sabiam: sua educação está feita; os segundos têm tudo a aprender; sua educação está por fazer; ela se fará, e se não ficar concluída nesta existência, o estará em outra.

A resistência do incrédulo, é preciso nisso convir, prende-se, freqüentemente, menos a ele do que à maneira pela qual se lhe apresentam as coisas. À fé é preciso uma base, e essa base é a inteligência perfeita daquilo em que se deve crer; para crer, não basta ver, é preciso, sobretudo, compreender. A fé cega não é mais deste século; ora, é precisamente o dogma da fé cega que faz hoje o maior número de incrédulos, porque quer se impor e exige a abdicação de uma das mais preciosas prerrogativas do homem: o raciocínio e o livre arbítrio. É essa fé contra a qual sobretudo se obstina o incrédulo, e da qual é verdadeiro dizer que não se prescreve; não admitindo provas, ela deixa no espírito um vago de onde nasce a dúvida. A fé raciocinada, a que se apóia sobre os fatos e a lógica, não deixa atrás de si nenhuma obscuridade; crê-se porque se está certo, e não se está certo senão quando se compreendeu; eis porque ela não se dobra; porque não há fé inabalável senão aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da Humanidade.

É a esse resultado que o Espiritismo conduz, e triunfa também da incredulidade todas as vezes que não encontra oposição sistemática e interessada.

PARÁBOLA DA FIGUEIRA SECA

8. Quando saíram de Betânia, ele teve fome; e vendo de longe uma figueira, foi ver se poderia nela encontrar alguma coisa, e tendo se aproximado, não encontrou senão folhas, porque não era tempo de figos. Então, Jesus disse à figueira: Que ninguém coma de ti nenhum fruto; o que seus discípulos ouviram. No dia seguinte, passando pela figueira, viram que ela havia se tornado seca até a raiz. E Pedro, lembrando-se das palavras de Jesus, lhe disse: Mestre, vede como a figueira que amaldiçoastes tornou-se seca. Jesus, tomando a palavra, lhe disse: Tende fé em Deus. Eu vô-lo digo em verdade, que todo aquele que disser a essa montanha: Tira-te daí e lança-te ao mar, e isso sem hesitar