O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XXI 1166

dá a essas palavras, o Espírito do mal tem o poder de fazer tais prodígios, que os próprios eleitos sejam por ele enganados, disso resultaria que, podendo fazer o que Deus faz, os prodígios e os milagres não são privilégios exclusivos dos enviados de Deus, e não provam nada, uma vez que nada distingue os milagres dos santos dos milagres dos demônios. É preciso, pois, procurar um sentido mais racional para essas palavras.

Aos olhos do vulgo ignorante, todo fenômeno cuja causa é desconhecida passa por sobrenatural, maravilhoso e miraculoso; a causa, uma vez conhecida, reconhece-se que o fenômeno, tão extraordinário que pareça, não é outra coisa senão a aplicação de uma lei natural. É assim que o círculo dos fatos sobrenaturais se retrai à medida que se amplia o da Ciência. Em todos os tempos, os homens exploraram, em proveito de sua ambição, de seu interesse e de sua dominação, certos conhecimentos que possuíam, a fim de darem a si mesmos o prestígio de um poder supostamente sobre-humano ou de uma pretensa missão divina. Estão aí os falsos Cristos e os falsos profetas; a difusão dos conhecimentos lhes aniquila o crédito, por isso o número deles diminui à medida que os homens se esclarecem. O fato de operar o que, aos olhos de certas pessoas, passa por prodígios, não é, pois, o sinal de uma missão divina, uma vez que pode resultar de conhecimentos que cada um pode adquirir, ou de faculdades orgânicas especiais, que o mais indigno pode possuir tão bem quanto o mais digno. O verdadeiro profeta se reconhece por caracteres mais sérios e exclusivamente morais.

NÃO ACREDITEIS EM TODOS OS ESPÍRITOS

6. Meus bem-amados, não acrediteis em todos os Espíritos, mas experimentai se os Espíritos são de Deus, porquanto vários falsos profetas se ergueram no mundo. (São João, 1ª Epístola, cap. IV, v. 1).

7. Os fenômenos espíritas, longe de dar crédito aos falsos Cristos e aos falsos profetas, como alguns exageram em dizê-lo, vêm ao contrário lhes dar um último golpe. Não peçais ao Espiritismo milagres nem prodígios, porquanto declara ele formalmente que não os produz; como a física, a química, a astronomia, a geologia, vieram revelar as leis do mundo material, ele vem revelar outras leis desconhecidas, as que regem as relações do mundo corporal e do mundo es-