O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XXI 1171

tensos Elias, São João ou São Pedro, e que, necessariamente não podem ser todos verdadeiros. Tende por certo que são pessoas que exploram a credulidade e acham cômodo viver às expensas daqueles que os escutam.

Desconfiai, pois, dos falsos profetas, sobretudo num tempo de renovação, porque muitos impostores se dirão os enviados de Deus; eles se proporcionam uma vaidosa satisfação na Terra, mas uma terrível justiça os espera, podeis disso estar certos. (ERASTO, Paris, 1862).

OS FALSOS PROFETAS DA ERRATICIDADE

10. Os falsos profetas não estão somente entre os encarnados; estão também, e em maior número, entre os Espíritos orgulhosos que, sob falsa aparência de amor e de caridade, semeiam a desunião e retardam a obra de emancipação da Humanidade, lançando de permeio seus sistemas absurdos que fazem os médiuns aceitarem; e para melhor fascinar aqueles que querem enganar, para dar mais peso às suas teorias, se ornam, sem escrúpulo, de nomes que os homens não pronunciam senão com respeito.

São eles que semeiam os fermentos de antagonismo entre os grupos, que os compelem a se isolarem uns dos outros, e a se verem com maus olhos. Só isso bastaria para desmascará-los; porque, em agindo assim, eles próprios dão o mais formal desmentido ao que pretendem ser. Cegos, pois, são os homens que se deixam prender em armadilha tão grosseira.

Mas há muitos outros meios de reconhecê-los. Os Espíritos da ordem à qual dizem pertencer devem ser não apenas muito bons mas, por outro lado, eminentemente racionais. Pois bem, passai seus sistemas pelo crivo da razão e do bom senso, e vereis o que deles restará. Convinde comigo, pois, que, todas as vezes que um Espírito indique, como remédio para os males da Humanidade, ou como meio de atingir a sua transformação, coisas utópicas e impraticáveis, medidas pueris e ridículas; quando formula um sistema contraditado pelas mais vulgares noções da ciência, esse não pode ser senão um Espírito ignorante e mentiroso.

De outro lado, crede bem que se a verdade não é sempre apreciada pelos indivíduos, o é sempre pelo bom senso das massas, e está ainda aí um critério. Se dois princípios se