O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XXIII 1180

A palavra ódio, nesta frase de São Lucas: Se alguém vem a mim e não odeia seu pai e sua mãe, está nesse caso; não há ninguém que tenha tido o pensamento de atribuí-la a Jesus; seria pois supérfluo discuti-la, e ainda menos procurar justificá-la. Seria preciso saber primeiro se ele a pronunciou, e, na afirmação, saber se, na língua em que se exprimia, essa palavra tinha o mesmo valor que na nossa. Nesta passagem de São João: "Aquele que odeia sua vida neste mundo, a conserva para a vida eterna", é certo que não exprime a idéia que lhe atribuímos.

A língua hebraica não era rica, e havia muitas palavras com vários significados. Tal é, por exemplo, aquele que, no Gênese, designa as fases da criação, e serviu a uma só vez para exprimir um período de tempo qualquer e a revolução diurna; daí, mais tarde, sua tradução para a palavra dia, e a crença que o mundo foi obra de seis vezes vinte e quatro horas. Tal é ainda a palavra que se dizia de um camelo e de um cabo, porque os cabos eram feitos de pêlo de camelo, e que foi traduzida por camelo na alegoria do buraco de agulha. (Cap. XVI, nº 2). (1)

É preciso, aliás, ter em conta os costumes e o caráter dos povos, que influem sobre o gênio particular de suas línguas; sem esse conhecimento, o sentido verdadeiro de certas palavras escapa; de uma língua a outra, a mesma palavra tem mais ou menos energia; pode ser uma injúria ou uma blasfêmia em uma e não significar em outra, segundo a idéia que a ela se atribuiu; na mesma língua, certas palavras perdem seu significado, alguns séculos depois; por isso, uma tradução rigorosamente literal não expri-


(1) Non odit em latim, Kaï ou miseï em grego, não quer dizer odiar, mas amar menos. O que exprime o verbo grego miseïn, o verbo hebreu, do qual deve ter se servido Jesus, o diz ainda melhor; não significa somente odiar, mas amar menos, não amar tanto quanto, igual a um outro. No dialeto siríaco, do qual se diz que Jesus usava mais freqüentemente, essa significação é ainda mais acentuada. Foi nesse sentido que está dito no Gênese (cap. XXIX, v. 30, 31): "E Jacó amou também a Raquel mais do que a Lia, e Jeová vendo que Lia era odiada..." É evidente que o verdadeiro sentido é menos amada; é assim que é preciso traduzir. Em várias outras passagens hebraicas, e sobretudo siríacas, o mesmo verbo é empregado no sentido de não amar tanto quanto a um outro, e seria um contra-senso traduzir por ódio, que tem uma outra acepção bem determinada. O texto de São Mateus afasta, aliás, toda a dificuldade. (Nota de M. Pezzani).