O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XXIII 1187

separados por sua crença, tirarão a espada um contra o outro, e a divisão reinará entre os membros de uma mesma família que não tiverem a mesma fé. Eu vim lançar o fogo sobre a Terra para limpá-la dos erros e dos preconceitos, como se coloca fogo num campo para nele destruir as más ervas, e tenho pressa que ele se acenda para que a depuração seja mais pronta, porque desse conflito a verdade sairá triunfante; à guerra, sucederá a paz; ao ódio dos partidos, a fraternidade universal; às trevas do fanatismo, a luz da fé esclarecida. Então, quando o campo estiver preparado, eu vos enviarei o Consolador, o Espírito de Verdade, que virá restabelecer todas as coisas; quer dizer, em fazendo conhecer o verdadeiro sentido das minhas palavras, os homens mais esclarecidos poderão, enfim, compreender, e pôr fim à luta fratricida que divide os filhos de um mesmo Deus. Cansados, enfim, de um combate sem resultado, que não arrasta atrás de si senão a desolação, e leva a perturbação até ao seio das famílias, os homens reconhecerão onde estão os seus verdadeiros interesses para este mundo e para o outro; verão de que lado estão os amigos e os inimigos da sua tranqüilidade. Todos então virão se abrigar sob a mesma bandeira: a da caridade, e as coisas serão restabelecidas sobre a Terra, segundo a verdade e os princípios que vos ensinei."

17. O Espiritismo vem realizar no tempo certo as promessas do Cristo; entretanto, não pode fazê-lo sem destruir os abusos; como Jesus, encontra sobre seus passos o orgulho, o egoísmo, a ambição, a cupidez, o fanatismo cego que, batidos em suas últimas trincheiras, tentam lhe barrar o caminho e lhe suscitam entraves e perseguições; por isso, lhe é preciso também combater; mas o tempo das lutas e das perseguições sangrentas passou; as que se tem a suportar são todas morais, e o seu termo se aproxima; as primeiras duraram séculos; estas durarão apenas alguns anos, porque a luz, em lugar de partir de um só foco, jorra sobre todos os pontos do globo, e abrirá mais cedo os olhos aos cegos.

18. Essas palavras de Jesus devem, pois, entender-se como as cóleras que ele previa que sua doutrina iria levantar, os conflitos momentâneos que lhe iriam ser a conseqüência, as lutas que teria que sustentar antes de se estabelecer, como ocorreu com os Hebreus antes da sua entrada na Terra Prometida, e não como um desígnio preme-