O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XXIII 1190

coração não compreenda, e que, estando convertidos, eu não os cure. (São Mateus, cap. XIII, v. de 10 a 15).

4. Admira-se de ouvir Jesus dizer que não se deve colocar a luz sob o alqueire, enquanto que ele mesmo oculta, sem cessar, o sentido de suas palavras sob o véu da alegoria, que não pode ser compreendida por todos. Ele se explica dizendo aos seus apóstolos: Eu lhes falo por parábolas, porque não estão no estado de compreender certas coisas; vêem, olham, ouvem e não compreendem; dizer-lhes tudo seria, pois, inútil no momento; mas a vós eu vo-lo digo, porque vos é dado compreender esses mistérios. Tratava, pois, com o povo, como se faz com as crianças, cujas idéias não estão ainda desenvolvidas. Com isso indica o verdadeiro sentido da máxima: "Não se deve colocar a candeia sob o alqueire, mas sobre o candeeiro, a fim de que todos aqueles que entrem possam vê-la." Não significa que é preciso inconsideradamente revelar todas as coisas; todo ensinamento deve ser proporcional à inteligência daquele a quem é dirigido, porque há pessoas a quem uma luz muito viva ofusca sem esclarecê-las.

Ocorre o mesmo com os homens em geral, como com os indivíduos; as gerações têm sua infância, sua juventude e sua idade madura; cada coisa deve vir a seu tempo, e o grão semeado fora da época não frutifica. Mas o que a prudência manda ocultar momentaneamente deve, cedo ou tarde, ser descoberto, porque, chegados a um certo grau de desenvolvimento, os homens procuram, eles mesmos, a luz viva; a obscuridade lhes pesa. Tendo Deus lhes dado a inteligência para compreender e para se guiar nas coisas da Terra e do céu, querem raciocinar sua fé, e é então que não se deve colocar a candeia sob o alqueire, porque sem a luz da razão, a fé se enfraquece. (Cap. XIX, nº 7).

5. Se, pois, em sua previdente sabedoria, a Providência não revela as verdades senão gradualmente, as revela sempre à medida que a Humanidade está madura para recebê-las; elas as mantém em reserva e não sob o alqueire; mas os homens que estão na posse delas, não as ocultam, a maior parte do tempo, ao vulgo, senão em vista de o dominar; são eles que colocam verdadeiramente a luz sob o alqueire. Foi assim que todas as religiões tiveram seus mistérios, cujo exame interditaram; mas ao passo que essas religiões permaneciam atrasadas, a Ciência e a inteligência caminharam e ras-