O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XXVI 1206

VENDILHÕES EXPULSOS DO TEMPLO

5. Eles vieram em seguida a Jerusalém, e Jesus, tendo entrado no templo, começou por expulsar aqueles que aí vendiam e compravam; derrubou as mesas dos cambistas e os assentos dos que vendiam pombos; não permitiu que ninguém transportasse nenhum utensílio pelo templo. Ele os instruiu também dizendo-lhes: Não está escrito: Minha casa será chamada casa de orações por todas as nações? E, todavia, fizestes dela um covil de ladrões. O que os príncipes dos sacerdotes, tendo ouvido, procuravam um meio de perdê-lo; porque eles o temiam, visto que todo o povo estava arrebatado em admiração por sua doutrina. (São Marcos, cap. XI, v. de 15 a 18; São Mateus, cap. XXI, v. 12, 13).

6. Jesus expulsou os vendilhões do templo, condenando, assim, o tráfico das coisas santas sob qualquer forma que seja. Deus não vende nem sua bênção, nem seu perdão, nem a entrada no reino do céus; o homem, pois, não tem o direito de as fazer pagar.

MEDIUNIDADE GRATUITA

7. Os médiuns modernos – porque os apóstolos também tinham mediunidade – igualmente receberam de Deus um dom gratuito: o de serem os intérpretes dos Espíritos para a instrução dos homens, para mostrar-lhes o caminho do bem e conduzi-los à fé, e não para vender-lhes palavras que não lhes pertencem, porque não são o produto de sua concepção, nem de suas pesquisas, nem de seu trabalho pessoal. Deus quer que a luz alcance a todos; não quer que o mais pobre dela seja deserdado e possa dizer: Eu não tenho fé porque não pude pagá-la; não tive a consolação de receber os encorajamentos e os testemunhos de afeição daqueles que choro, porque sou pobre. Eis porque a mediunidade não é um privilégio, e se encontra por toda a parte; fazê-la pagar seria, pois, desviá-la da sua finalidade providencial.

8. Todo aquele que conhece as condições nas quais os bons Espíritos se comunicam, sua repulsa por tudo o que seja do interesse egoístico, e que sabe quão pouca coisa é preciso para os afastar, não poderá jamais admitir que os Espíritos superiores estejam à disposição de qualquer um que