O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. II - ENCARNAÇÃO DOS ESPÍRITOS 124

140 - Que pensar da teoria da alma subdividida em tantas partes quantas são os músculos e presidindo, assim, a cada uma das funções do corpo?

- Isso depende, ainda, do sentido que se dê à palavra alma; entendida como o fluido vital, é razoável; porém, se entende a alma como o Espírito encarnado, é errada. Dissemos que o Espírito é indivisível e transmite movimento aos órgãos por meio do fluido intermediário, sem por isso se dividir.

- Entretanto, alguns Espíritos deram essa definição.

- Os Espíritos ignorantes podem tomar o efeito pela causa.

A alma atua por intermédio dos órgãos e os órgãos são animados pelo fluido vital que se reparte entre eles, e mais abundantemente naqueles que são centros ou sede dos movimentos. Mas essa explicação não se aplica quando se considera a alma como sendo o Espírito que habita o corpo durante a vida e o deixa quando ocorre a morte.

141 - Há alguma coisa de verdadeiro na opinião da-queles que pensam que a alma é exterior e circunda o corpo?

- A alma não está aprisionada no corpo como o pássaro numa gaiola. Ela irradia e se manifesta ao seu redor como a luz através de um globo de vidro ou como o som em torno de um centro sonoro; nesse sentido se pode dizer que ela é exterior, mas não é, por si, o envoltório do corpo. A alma tem dois envoltórios: um sutil e leve, que é o primeiro e que chamas perispírito; outro grosseiro, material e pesado, que é o corpo. A alma é o centro desses envoltórios como o germe em um núcleo; já o dissemos.

142 - Que dizer desta outra teoria segundo a qual a alma, numa criança, se completa a cada período da vida?

- O Espírito é um só, e está inteiro na criança como no adulto. São os órgãos, ou instrumentos de manifestação da alma, que se desenvolvem e se completam. É ainda tomar o efeito pela causa.

143 - Por que todos os Espíritos não definem a alma da mesma maneira?

- Todos os Espíritos não são igualmente esclarecidos sobre essas questões; há Espíritos ainda com limitações que