O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XXVIII 1247

Se não me é dado gozar imediatamente dessa felicidade

sem mácula, que não cabe senão ao justo por excelência, sei que a esperança não me está interditada para sempre, e que, com o trabalho, atingirei o objetivo, mais cedo ou mais tarde, segundo os meus esforços.

Sei que os bons Espíritos, e meu anjo guardião, estão perto de mim, para me receberem; dentro em pouco, os verei como eles me vêem. Sei que encontrarei aqueles que amei sobre a Terra, se o tiver merecido, e que aqueles que aqui deixo virão me reencontrar para estarmos, um dia, reunidos para sempre, e que, até lá, poderei vir visitá-los.

Sei também que vou reencontrar aqueles a quem ofendi; possam eles me perdoar pelo que têm a me censurar: meu orgulho, minha dureza, minhas injustiças, e não me cobrir de vergonha pela sua presença!

Perdôo aos que me fizeram ou quiseram mal na Terra; não carrego nenhum ódio contra eles, e peço a Deus que os perdoe.

Senhor, dai-me a força de deixar sem pesar as alegrias grosseiras deste mundo, que não são nada perto das alegrias puras do mundo em que vou entrar. Nele, para o justo, não há mais tormentos, sofrimentos, misérias; só o culpado sofre, mas lhe resta a esperança.

Bons Espíritos, e vós, meu anjo guardião, não me deixeis falhar neste momento supremo: fazei luzir aos meus olhos a luz divina, a fim de reanimar a minha fé, se ela vier a se abalar.

Nota. – Ver adiante, parágrafo V: Preces pelos doentes e pelos obsidiados.

III - PRECES PELOS OUTROS

POR ALGUÉM QUE ESTEJA EM AFLIÇÃO

42. PREFÁCIO ( * ): Se é do interesse do aflito que sua prova siga o seu curso, ela não será abreviada pelo nosso pedido; mas seria ato de impiedade desencorajar-se porque o pedido não foi atendido; aliás, na falta de cessação da prova, pode-se esperar obter qualquer outra consolação que


( * ) No original, falta a palavra prefácio. (N. do T.).