O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAPÍTULO XXVIII 1248

modere a sua amargura. O que é verdadeiramente útil para aquele que sofre é a coragem e a resignação, sem as quais o que suporta é sem proveito para ele, porque será obrigado a recomeçar a prova. É, pois, para essa finalidade que é preciso, sobretudo, dirigir seus esforços, seja em apelando aos bons Espíritos em sua ajuda, seja em reerguendo por si mesmo o moral do aflito por conselhos e encorajamentos, seja, enfim, em o assistindo materialmente, se for possível. A prece, neste caso, pode, por outro lado, ter um efeito direto, dirigindo sobre a pessoa uma corrente fluídica para fortalecer seu moral. (Cap. V, nºs 5 e 27; cap. XXVII, nºs 6 e 10).

43. PRECE. Meu Deus, cuja bondade é infinita, dignai-vos abrandar a amargura da posição de N..., se isso for da vossa vontade.

Bons Espíritos, em nome de Deus Todo-Poderoso, eu vos suplico assisti-lo em suas aflições. Se, no seu interesse, elas não podem lhe ser poupadas, fazei-o compreender que são necessárias ao seu adiantamento. Dai-lhe a confiança em Deus e no futuro, que as tornará menos amargas. Dai-lhe também a força de não sucumbir ao desespero, que lhe faria perder seu fruto, e tornaria sua posição futura ainda mais penosa. Conduzi meu pensamento até ele, e que ajude a sustentar a sua coragem.

AÇÃO DE GRAÇAS POR UM BENEFÍCIO CONCEDIDO A OUTREM

44. PREFÁCIO. Aquele que não está dominado pelo egoísmo se rejubila com o bem que chega a seu próximo, mesmo quando não o tenha solicitado pela prece.

45. PRECE. Meu Deus, sede bendito pela felicidade que chegou para N...

Bons Espíritos, fazei com que ele veja nela um efeito da bondade de Deus. Se o bem que lhe chega é uma prova, inspirai-lhe o pensamento de fazer dele bom uso, e de não se envaidecer, a fim de que esse bem não resulte em seu prejuízo para o futuro.

Vós, meu bom gênio, que me protegeis e desejais a minha felicidade, afastai do meu pensamento todo sentimento de inveja e de ciúme.