O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO III - O CÉU 1300

a face. É de acordo com essa crença que se diz que São Paulo foi elevado ao terceiro céu.

2. – As diferentes doutrinas concernentes à morada dos bem-aventurados repousam todas sobre o duplo erro de que a Terra é o centro do Universo, e que a região dos astros é limitada. É para além desse limite imaginário que todos colocaram essa região afortunada e a morada do Todo-Poderoso. Singular anomalia que coloca o autor de todas as coisas, aquele que as governa todas, nos confins da criação, em lugar do centro de onde a irradiação do seu pensamento pudesse se estender a todos!

3. – A ciência com a inexorável lógica dos fatos e da observação, levou sua luz até a profundeza do espaço, e mostrou a nulidade dessas teorias. A Terra não é mais o eixo do Universo, mas um dos menores astros rolando na imensidade; o próprio Sol não é senão o centro de um turbilhão planetário; as estrelas são inumeráveis sóis ao redor dos quais circulam mundos inumeráveis, separados por distâncias dificilmente acessíveis ao pensamento, embora nos pareça se tocarem. Nesse conjunto, regido por leis eternas, onde se revela a sabedoria e o poder do Criador, a Terra não aparece senão como um ponto imperceptível, e um dos menos favorecidos para a  habitabilidade. Desde então, pergunta-se por que Deus teria feito dela a única sede da vida e aí teria relegado suas criaturas prediletas? Tudo, ao contrário, anuncia que a vida está por toda parte, que a Humanidade é infinita como o Universo. A ciência nos revelando mundos semelhantes à Terra, Deus não poderia tê-los criado sem objetivo; deve tê-los povoado de seres capazes de governá-los.

4. – As idéias do homem estão em razão do que ele sabe; como todas as descobertas importantes, a da constituição dos mundos deveu dar-lhes um outro curso. Sob o império desses novos conhecimentos, as crenças deveram se modificar: o céu foi deslocado; a região das estrelas, sendo sem limites, não pode mais servir para ele. Onde está? Diante dessa pergunta, todas as religiões permanecem mudas.

O Espiritismo veio resolvê-la demonstrando a verdadeira destinação do homem. A natureza deste último, e os atributos de Deus sendo tomados por ponto de partida, chega-