O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO III - O CÉU 1307

os deveres cumpridos; cada um carrega em si mesmo os elementos de sua felicidade, em razão da categoria onde o coloca seu grau de adiantamento.

A felicidade prende-se às qualidades próprias dos indivíduos, e não ao estado material do meio onde se encontrem; assim é, pois, por toda parte onde haja Espíritos capazes de serem felizes; nenhum lugar circunscrito lhes está assinalado no Universo. Em qualquer lugar que se encontrem, os puros Espíritos podem contemplar a majestade divina, porque Deus está em toda parte.

16. – Entretanto, a felicidade não é pessoal; se apenas se a possuísse em si mesmo, se não se a pudesse repartir com os outros, seria egoísta e triste; por isso, está na comunhão de pensamentos que une os seres simpáticos. Os Espíritos felizes, atraídos uns para os outros pela semelhança de idéias, de gostos, de sentimentos, formam vastos grupos ou famílias homogêneas, no seio das quais cada individualidade irradia suas próprias qualidades, e se penetra dos eflúvios serenos e benfazejos que emanam do conjunto, cujos membros ora se dispersam para se ocuparem de suas missões, ora se reúnem em um ponto qualquer do espaço para se darem a conhecer o resultado dos seus trabalhos, ora se ajuntam ao redor de um Espírito, de uma ordem mais elevada, para receberem seus conselhos e suas instruções.

17. – Embora os Espíritos estejam por toda parte, os mundos são as sedes onde eles se reúnem, de preferência, em razão da analogia que existe entre eles e aqueles que os habitam. Ao redor dos mundos avançados afluem os Espíritos superiores; ao redor dos mundos atrasados, pululam os Espíritos inferiores. A Terra é ainda um destes últimos. Cada globo tem, pois, de alguma forma, sua população própria em Espíritos encarnados e desencarnados, que se alimenta, em maior parte, pela encarnação e a desencarnação dos mesmos Espíritos. Essa população é mais estável nos mundos inferiores, onde os Espíritos são mais apegados à matéria, e mais flutuante nos mundos superiores. Mas, dos mundos, focos de luz e de felicidade, os Espíritos se deslocam para mundos inferiores, para semearem aí os germes do progresso, e levarem a consolação e a esperança, erguer os ânimos abatidos pelas provas da vida, e, por vezes, aí se encarnam para cumprirem a sua missão com mais eficácia.