O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO IV - O INFERNO 1323

ossos, na pupila de seus olhos, nas fibras as mais escondidas e as mais sensíveis do seu ser. A cratera de um vulcão, se pudessem aí mergulhar, seria para eles um lugar de refrigério e de repouso.

"Assim falam, com segurança, os teólogos, os mais tímidos, os mais discretos, os mais reservados; eles não negam, aliás, que haja no inferno outros suplícios corporais, dizem somente que, para falarem deles não têm um conhecimento suficiente, tão positivo, ao menos daquele que lhes foi dado do horrível suplício do fogo e do repugnante suplício dos vermes. Mas há teólogos mais ousados ou mais esclarecidos que fazem, do inferno, descrições mais detalhadas, mais variadas e mais completas; e, embora não se saiba em que sítio do espaço esse inferno está situado, há santos que o viram. Para ali não foram com a lira na mão, igual a Orfeu, ou com a espada na mão, igual a Ulisses; foram transportados em espírito. Santa Teresa está entre esse número.

"Parece, segundo o relato da santa, que há cidade no inferno; ela viu, pelo menos uma espécie de rua longa e estreita, como há tantas nas cidades antigas; entrou nela, andando, com horror, sobre um terreno lodoso, fétido, onde pululavam répteis monstruosos; mas foi detida, em sua caminhada, por uma muralha que fechava a rua; nessa muralha, estava construído um nicho onde Teresa se agachou, sem saber muito como isso aconteceu. Era, disse ela, o lugar que lhe estaria destinado, se abusasse de sua vida, das graças que Deus derramou sobre a sua cela de Ávila. Embora se introduzisse, com uma facilidade maravilhosa, naquele nicho de pedra, não podia nem sentar-se, nem deitar-se, nem estar em pé: ainda menos podia dali sair; essas horríveis muralhas, estando abaixadas sobre ela, a envolviam, a apertavam, como se estivessem animadas. Parecia-lhe que a sufocavam, que a estrangulavam, e, ao mesmo tempo, que a esfolavam viva e que a retalhavam em farrapos; e sentia-se queimar, experimentava ao mesmo tempo, todos os gêneros de angústias. De socorro, nenhuma esperança; tudo, ao redor dela, não era senão trevas, e, entretanto, através dessas trevas, percebia ainda, não sem estupor, a horrenda rua onde estava alojada e toda a sua imunda vizinhança, espetáculo, para ela, tão intolerável como o envolvimento da sua prisão (1).


(1) Reconhecem-se, nesta visão, todos os caracteres dos pesadelos; é, pois, provável que foi um efeito deste gênero que se produziu em Santa Teresa.