O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO IV - O INFERNO 1328

inferno, porque se os condenados não podem imputar senão a si mesmos seus males espirituais, eles não podem, em contrapartida, atribuir os outros senão a Deus. Seria muito pouco, aparentemente, abandoná-los, depois de sua morte, à tristeza, ao arrependimento e a todas as angústias de uma alma que sente perder o bem supremo; Deus irá, segundo os teólogos, procurá-los nessa noite, no fundo desse abismo; chama-los-á um momento na claridade, não para consolá-los, mas para revesti-los com um corpo horrendo, flamejante, imperecível, mais empestado do que o vestido de Dejanira, e é, então, que os abandona para sempre.

"Não os abandonará mesmo, pois que o inferno não subsiste, assim como a Terra e o Céu, senão por um ato permanente de sua vontade, sempre ativa, e que tudo se esvaneceria se cessasse de tudo sustentar. Terá, pois, sem cessar, a mão sobre eles para impedir seu fogo de se apagar e seus corpos de se consumirem, querendo que esses infelizes imortais contribuam, pela perenidade do seu suplício, à edificação dos eleitos."

14. – Dissemos, com razão, que o inferno dos Cristãos havia exagerado o dos Pagãos. No Tártaro, com efeito, vêem-se os culpados torturados pelo remorso, sempre em razão dos seus crimes e de suas vítimas, oprimidos por aqueles que oprimiram em suas vidas; são vistos fugirem à luz que os penetra, e procurarem, em vão, escapar aos olhares que os perseguem; o orgulho é aí rebaixado e humilhado; todos carregam os estigmas do seu passado; todos são punidos pelas suas próprias faltas, a tal ponto que, para alguns, basta entregá-los a si mesmos, porque se julga inútil acrescentar-lhes outros castigos. Mas essas são sombras, quer dizer, almas com seus corpos fluídicos, imagem de sua existência terrestre; não se vêem, aí, os homens retomarem seus corpos carnais para sofrerem materialmente, nem o fogo penetrar sob a sua pele e saturá-los até a medula dos ossos, nem o luxo e o refinamento dos suplícios que são a base do inferno cristão. Encontram-se aí juízes inflexíveis, mas justos, que proporcionam a pena à falta; ao passo que no império de Satã, todos são confundidos nas mesmas torturas; tudo aí está fundado sobre a materialidade; a própria eqüidade dele está banida.

Há, sem dúvida, hoje, na própria Igreja, muitos homens