O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO VIII - OS ANJOS 1365

CAPÍTULO VIII

OS ANJOS

Os anjos segundo a Igreja. – Refutação. – Os anjos segundo o Espiritismo.

OS ANJOS SEGUNDO A IGREJA.

1. – Todas as religiões tiveram, sob diversos nomes, anjos, quer dizer, seres superiores à Humanidade, intermediários entre Deus e os homens. O materialismo, negando qualquer existência espiritual fora da vida orgânica, naturalmente, incluiu os anjos entre as ficções e as alegorias. A crença nos anjos, faz parte essencial dos dogmas da Igreja; assim ela os define (1):

2. – "Cremos firmemente, diz um concílio geral e ecumênico (2), que não há senão um verdadeiro Deus, eterno e infinito, o qual, no princípio dos tempos, criou do nada todo o conjunto, uma e outra criatura, a espiritual e a corporal, a angélica e a mundana, e, em seguida, formou, como intermediária entre as duas, a natureza humana, composta de corpo e Espírito.

"Tal é, segundo a fé, o plano divino das obras da criação; plano majestoso e completo, como convinha à sabedoria divina. Assim concebido, oferece, aos nossos pensamentos, o ser em todos os graus e em todas as condições. Na mais


(1) Tiramos este resumo da pastoral de Mons. Gousset, cardeal arcebispo de Reims, pela Quaresma de 1864. Pode-se, pois, considerá-lo, do mesmo modo que os dos demônios, tirado da mesma fonte e citado, no capítulo seguinte, como a última expressão do dogma da Igreja sobre esse ponto.

(2) Concílio de Latrão.