O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO VIII - OS ANJOS 1369

e a dignidade daqueles que se matêm, sem cessar, prosternados ou de pé diante de seu trono?

"Os Pais da Igreja e os teólogos ensinam, geralmente, que os anjos estão distribuídos em três grandes hierarquias ou principados, e, cada hierarquia, em três companhias ou coros.

"Os da primeira, e da mais alta hierarquia, são designados em razão das funções que exercem no céu. Uns são chamados Serafins, porque estão como abrasados, diante de Deus, com os ardores da caridade; estes, os Querubins, porque são um reflexo luminoso da sua sabedoria; aqueles, Tronos, porque proclamam a sua grandeza e fazem resplandecer-lhe o brilho.

"Os da segunda hierarquia recebem seus nomes das operações que lhes são atribuídas no governo geral do Universo; são: as Dominações que atribuem aos anjos de ordens inferiores as suas missões e os seus encargos; as Virtudes, que realizam os grandes prodígios reclamados pelos grandes interesses da Igreja e do gênero humano; as Potências, que protegem, pela sua força e sua vigilância, as leis que regem o mundo físico e moral.

"Os da terceira hierarquia têm, em partilha, a direção das sociedades e das pessoas; são: os Principados, prepostos do reino, das províncias e das dioceses; os Arcanjos, que transmitem as mensagens de alta importância; os anjos guardiães, os que acompanham cada um de nós para velarem, por nossa segurança e por nossa santificação."

REFUTAÇÃO

3. – O princípio geral que ressalta dessa doutrina é que os anjos são seres puramente espirituais, anteriores e superiores à  Humanidade, criaturas  privilegiadas, destinadas  à felicidade suprema e eterna desde  a  sua  formação;  dotadas, por sua própria natureza, de todas as virtudes e de todos os conhecimentos, sem nada ter feito para adquiri-los. Estão em primeiro lugar na obra da criação; no último lugar, a vida puramente material, e, entre as duas, a Humanidade formada de almas, seres espirituais inferiores aos anjos, unidos a corpos materiais.