O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO VIII - OS ANJOS 1374

o título merecido de pai dos seus súditos. Pergunta-se se há alguma coisa de mais própria para nos dar uma idéia da majestade de Deus do que a multidão dos anjos que compõem a sua corte? Sim, certamente, há qualquer coisa melhor do que isso: é a de representar-se, para todas as suas criaturas, soberanamente bom, justo e misericordioso; e não igual a um Deus colérico, ciumento, vingativo, inexorável, exterminador, parcial, criando, para a sua própria glória, esses seres privilegiados, favorecidos de todos os dons, nascidos para a felicidade eterna, ao passo que, aos outros, faz comprar, penosamente, a felicidade e pune um momento de erro com uma eternidade de suplícios...

10. – O Espiritismo professa, com respeito à união da alma e do corpo, uma doutrina mais espiritualista, para não dizer menos materialista, e que tem a mais por estar mais conforme com a observação e a destinação da alma. Segundo o que nos ensina, a alma é independente do corpo, que não é senão um envoltório temporário; sua essência é a espiritualidade; sua vida normal é a vida espiritual. O corpo não é senão um instrumento, para o exercício das suas faculdades, em suas relações com o mundo material; mas, separada do corpo, goza de suas faculdades com mais liberdade e extensão.

11. – Sua união com o corpo, necessária aos seus primeiros desenvolvimentos, não tem lugar senão no período que se pode chamar de sua infância e sua adolescência; quando alcança um certo grau de perfeição e de desmaterialização, essa união não é mais necessária, e a alma não progride mais senão pela vida do Espírito. Por numerosas que sejam, de resto, as existências corporais,  são necessariamente limitadas pela vida do corpo, e a sua soma total não compreende, em todos os casos, senão uma imperceptível parte da vida espiritual, que é indefinida.

OS ANJOS SEGUNDO O ESPIRITISMO

12. – Que haja seres dotados de todas as qualidades atribuídas aos anjos, disso não se poderia duvidar. A revelação espírita confirma, sobre esse ponto, a crença de todos os povos; mas nos faz conhecer, ao mesmo tempo, a natureza e a origem desses seres.