O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO VIII - OS ANJOS 1375

As almas ou Espíritos são criados simples e ignorantes, quer dizer, sem conhecimentos e sem consciência do bem e do mal, mas aptas a adquirirem tudo o que lhes falta; adquirem-no pelo trabalho; o objetivo, que é a perfeição, é o mesmo para todas; alcançam-na mais ou menos prontamente, em virtude do seu livre arbítrio e em razão dos seus esforços; todas têm os mesmos graus a percorrer, o mesmo trabalho a cumprir; Deus não faz a parte nem mais longa nem mais fácil a umas do que às outras, porque todas são suas filhas, e, sendo justo, não tem preferência por nenhuma. Diz-lhe: "Eis a lei que deve ser a vossa regra de conduta; só ela pode vos conduzir ao objetivo; tudo o que está conforme essa lei é o bem, tudo o que lhe é contrário é o mal. Sois livres para observá-la ou infringi-la, e sereis, assim, os árbitros da vossa própria sorte." Deus, pois, não criou o mal; todas as suas leis são para o bem; é o próprio homem quem cria o mal infringindo as leis de Deus; se as observasse, escrupulosamente, jamais sairia do bom caminho.

13. – Mas nas primeiras fases da sua existência, igual à criança, falta experiência à alma; por isso, ela é falível. Deus não lhe dá a experiência, mas lhe dá os meios de adquiri-la; cada falsidade, no caminho do mal, é, para ela, um atraso, sofre as suas conseqüências e aprende, às suas custas, o que deve evitar. É assim que, pouco a pouco, se desenvolve, se aperfeiçoa e avança na hierarquia espiritual, até que tenha alcançado o estado de puro Espírito, ou anjo. Os anjos são, pois, as almas dos homens que chegaram ao grau de perfeição que a criatura comporta, gozando da plenitude da felicidade prometida. Antes de atingirem esse grau supremo, gozam de uma felicidade relativa ao seu adiantamento, mas essa felicidade não é a ociosidade; é a das funções que apraz a Deus confiar-lhes e que são felizes em desempenhá-las, porque essas ocupações   são um meio de progredirem. (Ver cap. III, o Céu.)

14. – A Humanidade não está limitada à Terra; ela ocupa inumeráveis mundos que circulam no espaço; povoou aqueles que desapareceram e povoará aqueles que se formarão. Deus tem criado para toda a eternidade e criará, sem cessar. Muito tempo antes, pois, de que  a  Terra  existisse, por antiga que a suponhamos, teria havido, em  outros mundos, Espíritos encarnados que percorreram as mesmas