O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. IV - PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS 138

o futuro e fundamenta nossas esperanças, pois que nos oferece o meio de resgatar nossos erros através de novas provas. A razão indica essa doutrina e os Espíritos no-la ensinam.

O homem, consciente da sua inferioridade, tem, na doutrina da reencarnação, uma esperança consoladora. Se acredita na justiça de Deus, não pode esperar, por toda a eternidade, estar em pé de igualdade com aqueles que agiram melhor do que ele. O pensamento de que essa inferioridade não o deserdará para sempre do bem supremo, e que ele poderá superá-la por meio de novos esforços, o sustenta e lhe reanima a coragem. Qual é aquele que, no fim do seu caminho, não lamenta ter adquirido   muito tarde uma experiência que não pode mais aproveitar. Essa experiência tardia não ficará perdida; ele a aproveitará numa nova existência.

ENCARNAÇÃO NOS DIFERENTES MUNDOS.

172- Nossas diferentes existências corporais se pas-sam todas sobre a Terra?

- Não, não todas, mas nos diferentes mundos; a que passamos neste globo não é a primeira, nem a última e é uma das mais materiais e das mais distanciadas da perfeição.

173 - A alma, a cada nova existência corporal, passa de um mundo a outro ou pode viver várias vezes sobre o mesmo globo?

- Pode reviver muitas vezes sobre o mesmo globo se não é bastante avançada para passar para um mundo superior.

- Assim, podemos reaparecer várias vezes sobre a Terra?

- Certamente.

- Podemos voltar a ela depois de termos vivido em outros mundos?

- Seguramente; já vivestes em outros mundos e sobre a Terra.

174 - Voltar a habitar a Terra é uma necessidade?

- Não, mas se não progredistes, podereis ir para outro mundo que não seja melhor, e que pode ser pior.

175 - Existe alguma vantagem em voltar a habitar sobre a Terra?