O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO X - INTERVENÇÃO DO DEMÔNIOS 1396

lançaram luz sobre a natureza dos Espíritos, sua origem e seu destino, seu papel no Universo e seu modo de ação, a questão se resolve pelos fatos. Agora, sabe-se que são as almas daqueles que viveram sobre a Terra. Sabe-se também que as diversas categorias de Espíritos, bons e maus, não constituem seres de diferentes espécies, mas não marcam senão diversos graus de adiantamento. Segundo a classe que ocupam, em razão do seu desenvolvimento intelectual e moral, aqueles que se manifestam se apresentam, sob aspectos muito opostos, o que não os impede de terem saído da grande família humana, tão bem quanto o selvagem, o bárbaro e o homem civilizado.

3. – Sobre este ponto, como sobre muitos outros, a Igreja mantém suas velhas crenças no que concerne aos demônios. Ela disse: "Temos princípios que não variaram em dezoito séculos e que são imutáveis." Seu erro está precisamente em não levar em conta o progresso das idéias, e crer Deus bastante pouco sábio para não proporcionar a revelação ao desenvolvimento da inteligência, para ter com os homens primitivos a mesma linguagem que com os homens avançados. Se, ao passo que a Humanidade avança, a religião se aferra aos velhos hábitos, tanto em matéria espiritual quanto em matéria científica, chegará um momento em que ela será invadida pela incredulidade.

4. – Eis como a Igreja explica a intervenção exclusiva do demônio nas manifestações modernas (1).

"Em sua intervenção exterior, os demônios não são menos atentos em dissimularem a sua presença para afastarem as suspeitas. Sempre astutos e pérfidos, atraem o homem para as suas ciladas, antes de impor-lhe as cadeias da opressão e da servidão. Aqui, despertam a curiosidade pelos fenômenos e os jogos pueris; ali, ferem de admiração e subjugam pelo atrativo do maravilhoso. Se o sobrenatural aparece, se sua força os desmascara, acalmam e apaziguam as apreensões, solicitam confiança, provocam a familiaridade. Ora se fazem passar por divindades e bons gênios, ora utilizam os nomes e mesmo os traços de mortos que deixaram uma memória entre os vivos. Por meio dessas fraudes dignas


(1) As citações deste capítulo foram tiradas da mesma pastoral das do capítulo precedente, do qual são a continuação e têm a mesma autoridade.