O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO X - INTERVENÇÃO DO DEMÔNIOS 1405

pelo diabo; mais de um, ao contrário, dirá que, se o diabo o curou, ele fez uma boa ação. (1)

12. – "Quais são os agentes secretos desses fenômenos e os verdadeiros autores dessas cenas inexplicáveis? Os anjos não aceitariam esses papéis indignos, e não se prestariam a todos os caprichos de uma vã curiosidade."

O autor quer falar das manifestações físicas de Espíritos; entre elas, há evidentemente as que seriam pouco dignas de Espíritos superiores; e se, substituís a palavra anjos por puros Espíritos ou Espíritos superiores, tereis exatamente o que diz o Espiritismo. Mas não se poderiam colocar na mesma linha as comunicações inteligentes pela escrita, pela palavra, pela audição ou todo outro meio, que não são mais indignas de bons Espíritos e que não o são na terra de homens os mais eminentes, nem as aparições, as curas e uma multidão de outros que os livros sacros citam em profusão como sendo o fato de anjos ou de santos. Se, pois, os anjos e os santos produziram outrora fenômenos semelhantes, por que não os produziriam hoje? Por que os mesmos fatos seriam hoje a obra do demônio, nas mãos de certas pessoas, ao passo que são reputados milagres santos em outras? Sustentar semelhante tese é abdicar de toda lógica.

O autor da pastoral está em erro quando diz que esses fenômenos são inexplicáveis. Ao contrário, são hoje perfeitamente explicados, e é por isso que não são vistos como maravilhosos e sobrenaturais; e não o fossem ainda, não seria mais lógico atribuí-los ao diabo, como não era outrora dar-lhe a honra de todos os efeitos naturais que não se compreendiam.

Por papéis indignos é preciso entender os papéis ridículos e aqueles que consistem em fazer o mal; mas não se pode assim qualificar o de Espíritos que fazem o bem, e conduzem os homens a Deus e à virtude. Ora, o Espiritismo diz expressamente que os papéis indignos não são atribuições de Espíritos superiores, assim como provam os preceitos seguintes:


(1) Querendo persuadir as pessoas curadas pelos Espíritos que o foram pelo diabo, isso desligou radicalmente da Igreja um grande número que não sonhavam deixá-la.