O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO X - INTERVENÇÃO DO DEMÔNIOS 1406

13. – Reconhe-se a qualidade dos Espíritos pela sua linguagem; a dos Espíritos verdadeiramente bons e superiores é sempre digna, nobre, lógica, isenta de contradições; respira a sabedoria, a benevolência, a modéstia e a moral mais pura; é concisa e sem palavras inúteis. Nos Espíritos inferiores, ignorantes, ou orgulhosos, o vazio das idéias é quase sempre compensado pela abundância de palavras. Todo pensamento evidentemente falso, toda máxima contrária à sã moral, todo conselho ridículo, toda expressão grosseira, trivial ou simplesmente frívola, enfim, toda marca de malevolência, de presunção ou de arrogância, são sinais incontestáveis de inferioridade num Espírito.

– Os Espíritos superiores não se ocupam senão de comunicações inteligentes, tendo em vista nossa instrução; as manifestações físicas ou puramente materiais estão mais especialmente nas atribuições de Espíritos inferiores, vulgarmente designados sob o nome de Espíritos batedores; como entre nós, os grandes esforços competem aos saltimbancos e não aos sábios. Seria absurdo pensar que os Espíritos, enquanto sejam pouco elevados, divertem-se em se exibirem. (O que é o Espiritismo, cap. II, nº 37, 38, 39, 40 e 60. – Ver também: O Livro dos Espíritos, Liv. II, cap. I: Diferentes ordens de Espíritos; escala espírita. O Livro dos Médiuns, 2ª parte, cap. XXIV: Identidade dos Espíritos; Distinção de bons e de maus Espíritos.)

Qual é o homem de boa-fé que pode ver, nesses preceitos, um papel indigno atribuído aos Espíritos elevados? Não somente o Espiritismo não confunde os Espíritos, mas, ao passo que se atribui aos demônios uma inteligência igual à dos anjos, ele constata, pela observação dos fatos, que os Espíritos inferiores são mais ou menos ignorantes, que seu horizonte moral é limitado, sua perspicácia restrita; que têm das coisas uma idéia freqüentemente falsa e incompleta, e são incapazes de resolverem certas questões, o que os colocaria na impossibilidade de fazerem tudo o que se atribui aos demônios.

14. – "As almas dos mortos, que Deus proíbe consultar, moram numa morada que lhes marcou a sua justiça, e elas não podem, sem a sua permissão, colocar-se às ordens dos vivos."

O Espiritismo diz também que elas não podem vir sem a permissão de Deus, mas é ainda bem mais rigoroso, porque