O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO X - INTERVENÇÃO DO DEMÔNIOS 1408

objetivo providencial para que sirvam aos seus interesses pessoais, que, por ignorância, leviandade, orgulho ou cupidez, se afastam dos verdadeiros princípios da Doutrina; mas o Espiritismo sério as reprova, como a verdadeira religião reprova os falsos devotos e os excessos do fanatismo. Não é, pois, nem lógico nem equitativo imputar ao Espiritismo em geral os abusos que ele condena, ou as faltas daqueles que não o compreendem. Antes de formular uma acusação, é preciso ver se ela assenta justo. Portanto, diremos: A censura da Igreja cai sobre os charlatães, os exploradores, as práticas da magia e da feitiçaria; nisso ela tem razão. Quando a crítica religiosa e cética filtra os abusos e estigmatiza o charlatanismo, não faz melhor com isso que ressaltar a pureza da sã doutrina, que ajuda, assim, a se desembaraçar das más escórias; nisso facilita a nossa tarefa. Seu erro está em confundir o bem e o mal, por ignorância na maioria, por má-fé em alguns; mas a distinção que ela não faz, outros a fazem. Em todos os casos, sua censura, à qual todo espírita sincero se associa no limite do que se aplica ao mal, não pode atingir a Doutrina.

16. – "Os seres misteriosos que se entregam assim ao primeiro chamado do herético e o ímpio como do fiel, do crime tão bem quanto da inocência, não são nem os enviados de Deus, nem os apóstolos da verdade, mas os cúmplices do erro e do inferno."

Assim, ao herético, ao ímpio, ao criminoso, Deus não permite que os bons Espíritos venham tirá-los do erro para salvá-los da perdição eterna! Não lhe envia senão os subordinados do inferno para enfiá-los mais no lamaçal! Bem mais, não envia à inocência senão seres perversos para pervertê-la! Não se encontra, pois, entre os anjos, essas criaturas privilegiadas de Deus, nenhum ser bastante compassivo para vir em socorro dessas almas perdidas? Por que as qualidades brilhantes de que são dotados, se não servem senão para seus gozos pessoais? São realmente bons se, mergulhados nas delícias de sua contemplação, vêem essas almas no caminho do inferno, sem virem dele desviá-las? Não é a imagem do rico egoísta que, tendo tudo em profusão, sem piedade, deixa o pobre morrer de fome à sua porta? Não é o egoísmo erigido em virtude e colocado até aos pés do eterno?

Não vos admireis que os bons Espíritos vão ao herético