O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO X - INTERVENÇÃO DO DEMÔNIOS 1409

e ao impío; esqueceis, pois, esta palavra do Cristo: "Não é aquele que está bem que tem necessidade de médico." Não veríeis as coisas de um ponto mais elevado que os Fariseus de seu tempo? E vós mesmos, se fosseis chamado por um descrente, recusaríeis ir a ele para colocá-lo no bom caminho? Os bons Espíritos fazem, pois, o que faríeis; vão ao ímpio fazê-lo ouvir boas palavras. Em lugar de lançar anátema às comunicações de além-túmulo, bendizei os caminhos do Senhor, e admirai o seu todo poder e a sua bondade infinita.

17. – Há, diz-se, os anjos guardiães; mas, quando esses anjos guardiães não podem se fazer ouvir pela voz misteriosa da consciência ou da inspiração, por que não empregariam meios de ação mais diretos e mais materiais, de natureza a ferirem os sentidos, uma vez que eles existem? Deus coloca, pois, esses meios, que são obra sua, uma vez que tudo vem dele e que nada chega sem a sua permissão, à disposição dos maus Espíritos, ao passo que recusa aos bons deles se servirem? De onde é preciso concluir que Deus dá aos demônios mais facilidades para perder os homens, que as dá aos anjos guardiães para salvá-los.

Pois bem! O que os anjos guardiães não  podem  fazer, segundo a  Igreja, os  demônios   o   fazem  por  eles;  com a  ajuda dessas mesmas  comunicações,  supostamente infernais, conduzem a Deus aqueles que o renegam, e ao bem aqueles que estão mergulhados no mal; dão-nos o estranho espetáculo de milhões de homens que crêem em Deus pelo poder do diabo, então que  a  Igreja  fora  impotente para convertê-los. Quantos homens que não oraram jamais, oram   hoje  com fervor,  graças   às   instruções  desses mesmos demônios! Quantos deles não se vêem que, de orgulhosos, egoístas e debochados, se tornaram humildes, caridosos e menos sensuais! E se diz que é a obra dos demônios! Se assim for, é preciso convir que os demônios prestaram um maior serviço e os assistiu melhor que os anjos. É preciso ter uma bem pobre opinião do julgamento dos homens deste século, para crer que possam aceitar cegamente tais idéias. Uma religião que faz a sua pedra angular de semelhante doutrina, que se declara solapada em sua base tirando-se-lhe seus demônios, seu inferno, suas penas eternas e seu Deus sem piedade, é uma religião que se suicida.