O LIVRO DOS ESPÍRITOS - LIVRO II - CAP. IV - PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS 141

nos são desconhecidas; vê pelos olhos do corpo o que vemos apenas pelo pensamento.

A purificação dos Espíritos reflete-se na perfeição moral dos seres em que estão encarnados. As paixões animais enfraquecem e o egoísmo cede lugar ao sentimento de fraternidade. É assim que, nos mundos superiores à Terra, as guerras são desconhecidas, os ódios e as discórdias não têm motivo, visto que ninguém se preocupa em causar dano ao seu semelhante. A intuição que seus habitantes têm do futuro, a segurança que lhes dá uma consciência isenta de remorsos, fazem com que a morte não lhes cause nenhuma apreensão; recebem-na sem medo como uma simples transformação.

A duração da vida nos diferentes mundos parece ser proporcional ao grau de superioridade física e moral desses mundos; e isto é perfeitamente racional. Quanto menos o corpo é material, menos está sujeito às vicissitudes que o desorganizam; quanto mais puro o Espírito, menos paixões para destruí-lo. É esse um auxílio da Providência, que deseja abreviar os sofrimentos.

183 - Passando de um mundo a outro, o Espírito passa por uma nova infância?

- A infância é, em toda parte, uma transição necessária, porém , não é em toda a parte assim precária como entre vós.

184 - O Espírito pode escolher o novo mundo que vai habitar?

- Nem sempre, mas pode pedir e, se tiver méritos, pode ser atendido; pois os mundos são acessíveis aos Espíritos de acordo com o seu grau de elevação.

- Se o Espírito nada pede, o que determina o mundo em que deve se reencarnar?

- O grau de sua elevação.

185 - As condições físicas e morais dos seres vivos, em cada globo, são sempre as mesmas, perpetuamente?

- Não; os mundos também são submetidos à lei do progresso. Todos começaram como o vosso, por um estado inferior, e a própria Terra suportará uma transformação semelhante. Tornar-se-á um paraíso terrestre, quando os homens se tornarem bons.

É assim que as  raças  que  povoam  hoje  a  Terra desaparecerão um dia e serão substituídas por seres cada vez mais perfeitos; essas raças transformadas sucederão às atuais, como estas sucederam a outras mais atrasadas.