O CÉU E O INFERNO - PRIMEIRA PARTE - DOUTRINA - CAPÍTULO XI - DA PROIBIÇÃO DE EVOCAR OS MORTOS 1420

almas, isso se concebe, uma vez que nelas não crêem; mas o que é estranho é ver aqueles cujas crenças repousam em sua existência e em seu futuro, se obstinarem contra os meios de provar que ela existe, e se esforçarem em demonstrar que isso é impossível. Pareceria natural, ao contrário, que aqueles que têm o maior interesse em sua existência, devessem acolher com alegria, e como um benefício da Providência, os meios de confundir os negadores por provas irrecusáveis, uma vez que são os negadores da religião. Eles deploram, sem cessar, a invasão da incredulidade que dizima o rebanho dos fiéis, e quando o mais poderoso meio de combatê-la se apresenta, repelem-no com mais obstinação que os próprios incrédulos. Depois, quando as provas extravasam ao ponto de não deixarem nenhuma dúvida, têm como recurso, como argumento supremo, a proibição de se ocupar delas, e para justificá-la vão procurar um artigo da lei de Moisés, no qual ninguém sonhava, e onde quer-se, a toda força, ver uma aplicação que não existe. Estava-se tão feliz com essa descoberta, que não se percebeu que esse artigo é uma justificativa da Doutrina Espírita.

14. – Todos os motivos alegados contra as relações com os Espíritos não podem sustentar um exame sério; da obstinação que nisso se coloca, entretanto, não se pode inferir senão que a essa questão se liga um grande interesse, sem isso nele não se colocaria tanta insistência. Ao ver esta cruzada de todos os cultos contra as manifestações, dir-se-ia que delas têm medo. O verdadeiro motivo poderia bem ser o temor que os Espíritos, muito clarividentes, não viessem esclarecer os homens sobre os pontos que se quer deixar na sombra, e fazê-los conhecer à risca o que é do outro mundo e as verdadeiras condições para nele ser feliz ou infeliz. É por isso que, do mesmo modo que se diz a uma criança: "Não vá ali que há um lobisomem;" diz-se aos homens: "Não chameis os Espíritos, são o diabo." Mas esforçar-se-á em vão; se se interdita aos homens chamarem os Espíritos, não se impedirá aos  Espíritos  virem  aos  homens  para  tirarem  a  lâmpada de sob o alqueire.

O culto que estiver na verdade absoluta nada terá a temer da luz, porque a luz fará ressaltar a verdade, e o demônio não poderá prevalecer contra a verdade.

15. – Repelir as comunicações de além-túmulo é