O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO II 1429

CAPÍTULO II

ESPÍRITOS FELIZES

SENHOR SANSON

O senhor Sanson, antigo membro da Sociedade Espírita de Paris, morreu no dia 21 de abril de 1862, depois de um ano de cruéis sofrimentos. Prevendo seu fim, havia dirigido ao presidente da Sociedade uma carta contendo a passagem seguinte:

"Em caso de surpresa pela desagregação de minha alma e de meu corpo tenho a honra de vos lembrar de um pedido que já fiz há cerca de um ano; é o de evocardes o meu Espírito o mais imediatamente possível e o mais freqüentemente que julgardes oportuno, a fim de que, membro bastante inútil de nossa Sociedade durante a minha presença na Terra, possa servir-lhes para alguma coisa além-túmulo, dando-lhes os meios de estudarem fase por fase, em suas evocações, as diversas circunstâncias que seguem o que o vulgo chama de morte, mas que, para nós espíritas, não é senão uma transformação, segundo os desígnios impenetráveis de Deus, mas sempre útil ao fim que se propôs.

"Além dessa autorização e pedido de me darem a honra dessa espécie de autópsia espiritual, que meu pouco adiantamento como Espírito talvez torne estéril, à qual vossa sabedoria, naturalmente, vos levará a não estenderdes mais longe que um certo número de tentativas, ouso pedir-vos, pessoalmente, assim como para todos os meus colegas, de consentirdes suplicar ao Todo-poderoso permitir aos bons Espíritos para que me assistam com os seus conselhos benevolentes, São Luís, nosso presidente espiritual em particular, para me guiarem na escolha e sobre a época de uma