O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO II 1451

P. (A Sixdeniers). Como Espírito, tendes muitos Espíritos sofredores para guiar? – R. Não; mas logo que conduzimos um deles ao bem, tomamos um outro, sem por isso abandonarmos os primeiros.

P. Como podeis bastar a uma vigilância que deve se mutiplicar ao infinito com os séculos? – R. Compreende que aqueles que conduzimos se depuram e progridem; portanto, nos dão menos trabalho; ao mesmo tempo, nós mesmos nos elevamos e, subindo, as nossas faculdades progridem, o nosso poder irradia em proporção à nossa pureza.

Nota. Os Espíritos inferiores, portanto, são assistidos pelos bons Espíritos que têm por missão guiá-los; esta tarefa não é exclusivamente reservada aos encarnados, mas estes devem concorrer para ela, porque é, para eles, um meio de adiantamento. Quando um Espírito inferior vem se colocar de permeio com uma boa comunicação, como no presente caso, sem dúvida, não o faz sempre com uma boa intenção, mas os bons Espíritos o permitem, seja como prova, seja a fim de que aquele ao qual se dirige trabalhe para o seu adiantamento. Sua persisitência, é verdade, às vezes, degenera em obsessão, mas, quanto mais tenaz, tanto mais prova o quanto é grande a necessidade de assistência. Portanto, é um erro recusá-lo; é necessário olhá-lo como um pobre que vem pedir esmola, e dizer-se: É um Espírito infeliz que os bons Espíritos me enviam para educá-lo. Se eu triunfar, terei a alegria de ter conduzido uma alma ao bem, e ter abreviado os seus sofrimentos. Essa tarefa é freqüentemente penosa; sem dúvida, seria mais agradável ter sempre belas comunicações, e não conversar senão com Espíritos escolhidos; mas não é em não procurando senão a nossa própria satisfação, e recusando as ocasiões que se nos oferecem para fazer o bem, que se merece a proteção dos bons Espíritos.

O DOUTOR DEMEURE

Morto em Albi (Tarn), em 25 de janeiro de 1865.

O senhor Demeure era um médico homeopata muito distinguido em Albi. Seu caráter, tanto quanto o seu saber, lhe granjearam a estima e a veneração de seus concidadãos. Sua bondade e sua caridade eram inesgotáveis, e, apesar