O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO II 1455

"Escondêramos à senhora G..., médium vidente e sonâmbula, muito lúcida, a morte do senhor Demeure, para pouparmos a sua extrema sensibilidade, e o bom doutor, sem dúvida, compreendendo o nosso objetivo, evitara manifestar-se a ela. No dia 10 de fevereiro último, estávamos reunidos a convite de nossos guias que, diziam, queriam aliviar a senhora G... de uma entorse da qual sofria cruelmente desde a véspera. Disso mais não sabíamos, e estávamos longe de esperar a surpresa que nos dirigiam. Apenas essa senhora entrou em sonambulismo, fez ouvir gritos pungentes mostrando o seu pé. Eis o que se passava:

"A senhora G... via um Espírito curvado sobre a sua perna, e cujos traços lhe estavam ocultos; ele fazia fricções e massagens, exercendo, de tempo em outro, sobre a parte doente, uma tração longitudinal, absolutamente como faria um médico. A operação era tão dolorosa que a paciente se deixava chegar, às vezes, a vociferações e a movimentos desordenados. Mas a crise não foi de longa duração; ao cabo de dez minutos, todo traço da entorse havia desaparecido, não havia mais inchaço, o pé retomara a sua aparência normal; a senhora G... estava curada.

"Entretanto, o Espírito permanecia sempre desconhecido da médium, e persistia em não mostrar os seus traços; tinha mesmo o ar de querer desvanecer-se, quando, de um pulo, a nossa enferma que, alguns minutos antes, não podia dar um passo, se lança ao meio do quarto para agarrar e apertar a mão de seu doutor espiritual. Ainda esta vez, o Espírito ocultara toda a cabeça, deixando a sua mão na dela. Nesse momento, a senhora G... grita e cai desfalecida sobre o assoalho; acabara de reconhecer o senhor Demeure no Espírito curador. Durante a síncope, ela recebia cuidados atenciosos de vários Espíritos simpáticos. Enfim, tendo reaparecido a lucidez sonambúlica, ela conversou com os Espíritos que respondiam aos seus testemunhos de afeição, penetrando-a com um fluido reparador.

"Essa cena não é comovente e dramática, e não se crê ver todos esses personagens desempenharem o seu papel na vida humana? Não é uma prova, entre mil, de que os Espíritos são seres bem reais, tendo um corpo e agindo como o faziam na Terra? Estávamos felizes por reencontrarmos o nosso migo espiritualizado, com o seu excelente coração e a sua delicada solicitude. Ele fora, durante a sua vida, o médico da médium;