O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO II 1471

Alto? Quanto os vossos mais melodiosos concertos são tristes e gritantes perto dessa suave melodia que faz vibrar os fluidos do éter e todas as fibras da alma? Quanto as vossas maiores alegrias são tristes e insípidas perto da inefável sensação de felicidade que penetra, incessamente, todo o ser como um eflúvio benfazejo, sem mistura de nenhuma inquietação, de nenhuma apreensão, de nenhum sofrimento? Aqui tudo respira o amor, a confiança, a sinceridade; por toda parte corações amantes, por toda parte amigos, nenhuma parte de invejosos e ciumentos. Tal é o mundo onde estou, meu amigo, e onde chegareis infalivelmente seguindo o caminho reto.

"Entretanto, se deixaria cedo uma alegria uniforme; não credes que a nossa seja isenta de peripécias; não é nem um concerto perpétuo, nem uma festa sem fim, nem uma beata contemplação durante a eternidade; não, é o movimento, a vida, a atividade. As ocupações, embora isentas de fadigas, dão-lhe uma incessante variedade de aspectos e de emoções pelos milhares de incidentes de que são salpicadas. Cada um tem a sua missão a cumprir, os seus protegidos a assistir, amigos da Terra para visitar, mecanismos da Natureza a dirigir, almas sofredoras para consolar; se vai, ou vem, não de uma rua a outra, mas de um mundo ao outro; reúne-se ou separa-se para se reunir em seguida; reúne-se num lugar, comunica-se o que se fez, felicita-se pelos sucessos alcançados; combina-se, assiste-se reciprocamente nos casos difíceis; enfim, asseguro-vos que ninguém tem o tempo de se aborrecer um segundo.

"Neste momento a Terra é o nosso grande objeto de preocupação. Que movimento entre os Espíritos! Que numerosas coortes afluem para concorrer em sua transformação! Dir-se-ia uma multidão de trabalhadores ocupados em desbravar uma floresta, sob a condução de chefes experimentados; uns abatem as velhas árvores com o machado, arrancam as profundas raízes; outros desentulhando, estes lavrando e semeando, aqueles edificando a nova cidade sobre as ruínas carcomidas do velho mundo. Durante esse tempo, os chefes se reúnem, formam conselhos e enviam mensageiros para darem ordens em todas as direções. A Terra deve estar regenerada num tempo dado; é necessário que os desígnios da Providência se cumpram; por isso cada um está na obra. Não credes que eu seja simples espectadora