O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO II 1482

pensamentos secretos que se pode haver emitido sobre uma doutrina consoladora e reparadora. Sou feliz! Sim, eu o sou, porque agora vejo, sem nenhum obstáculo, se desenvolver diante de mim o futuro da ciência e da filosofia espíritas.

Mas afastemos por hoje essas digressões inoportunas; virei de novo vos entreter a esse respeito, sabendo que a minha presença vos proporcionará tanto prazer quanto eu mesmo sinto em vos visitar.

O dilaceramento foi bastante rápido, mais rápido que o meu pouco mérito me fazia esperar. Fui poderosamente ajudado pelo vosso concurso, e o vosso sonâmbulo vos deu uma idéia muito límpida do fenômeno da separação, para que eu não insista nisso. Era uma espécie de oscilação descontínua, uma espécie de arrastamento em dois sentidos opostos; o Espírito triunfou, uma vez que aqui estou. Não deixei completamente o corpo senão no momento em que foi depositado na terra; retornei convosco.

P. Que pensais do serviço feito para os vossos funerais? Fiz-me um dever assistir a ele. Nesse momento, estáveis bastante desligado para vê-lo, e as preces que fiz por vós (não ostensivamente, bem entendido) chegaram a vós? – R. Sim; como vos disse, a vossa assistência em tudo fez a sua parte; e regressei convosco abandonando a minha velha crisálida. As coisas materiais pouco me tocam, de resto o sabeis. Eu não pensava senão na alma e em Deus.

P. Lembrai-vos de que, a vosso pedido, há cinco anos, no mês de fevereiro de 1860, fizemos um estudo sobre vós estando ainda vivo (1). Naquele momento, o vosso Espírito estava desligado para vir conversar conosco. Quereis nos descrever, tanto quanto possível, a diferença que existe entre o vosso desligamento atual e o de então? – R. Sim, certamente, disso me lembro; mas, que diferença entre o meu estado de então e o de hoje! Então a matéria me constrangia ainda com a sua rede inflexível; queria desligar-me de maneira mais absoluta, e não o podia. Hoje sou livre; um vasto campo, o do desconhecido, abre-se diante de mim, e eu espero, com a vossa ajuda e a dos bons Espíritos, aos quais me recomendo, avançar e me penetrar, o mais rapidamente possível, dos sentimentos que ele faz sentir, e dos atos que


(1)Ver a Revista Espírita do mês de março de 1860.