O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO III 1490

CAPÍTULO III

ESPÍRITOS NUMA CONDIÇÃO MEDIANA

JOSEPH BRÉ

Falecido em 1840, evocado em Bordeaux em 1862 por sua neta.

O homem honesto segundo Deus ou segundo os homens.

 

1. Caro avô, quereis dizer-me como estais entre os Espíritos, e dar-me alguns detalhes instrutivos para o nosso adiantamento? – R. Tudo o que quiseres, minha cara criança. Expio a minha falta de fé; mas a bondade de Deus é grande: leva em conta as circunstâncias. Eu sofro, não como poderás entendê-lo, mas de desgosto por não ter empregado bem o meu tempo na Terra.

2. Como não o empregastes bem? Sempre vivestes como um homem honesto. – R. Sim, do ponto de vista dos homens; mas há um abismo entre o homem honesto diante dos homens e o homem honesto diante de Deus. Queres instruir-te, querida criança; vou tratar de fazer-te sentir a diferença.

Entre vós, é considerado como homem honesto quando ele respeita as leis de seu país, respeito elástico para muitos; quando não faz mal ao seu próximo tomando-lhe, ostensivamente, o seu bem; mas, freqüentemente, se lhe toma a honra e a sua felicidade sem escrúpulo, do momento em que o código ou a opinião pública não podem alcançar o culpado hipócrita. Quando se pôde fazer gravar sobre a sua pedra tumular as lengalengas de virtudes que são louvadas, crendo-se haver pago sua dívida à Humanidade. Que erro! Não basta, para ser honesto diante de Deus, não ter infringido as leis dos