O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO III 1501

a se lamentar, estava sempre pronta a lhes prestar serviço quando possível.

Intimamente ligada com ela há muitos anos, pudemos seguir todas as fases de sua existência e todas as peripécias de seu fim.

Um acidente provocou a terrível doença que deveria levá-la, e que a reteve três anos no leito, sujeita aos mais atrozes sofrimentos, que suportou, até o último momento, com uma coragem heróica, e no meio dos quais a sua alegria não a abandonou. Ela acreditava firmemente na alma e na vida futura, mas se preocupava muito pouco com isso; todos os seus pensamentos se dirigiam para a vida presente à qual se agarrava muito, sem, entretanto, ter medo da morte, e sem procurar os gozos materiais, porque a sua vida era muito simples, e passava, sem dificuldade, daquilo que não podia se proporcionar; mas tinha, instintivamente, o gosto do bem e do belo, que sabia levar até nas menores coisas. Queria viver, menos por ela que por seus filhos, aos quais sentia que era necessária; foi por isso que se agarrou à vida. Conhecia o Espiritismo sem o ter estudado a fundo; interessava-se por ele e, entretanto, não chegou a fixar os seus pensamentos no futuro; era-lhe uma idéia verdadeira, mas que não deixava nenhuma impressão profunda no seu espírito. O que ela fazia de bem era o resultado de um movimento natural, espontâneo, e não inspirado pelo pensamento de uma recompensa ou penas futuras.

Já há muito tempo, seu estado era desesperador, e se esperava, um momento ou outro, vê-la partir; ela própria não se iludia. Um dia que o seu marido estava ausente, sentiu-se desfalecer, e compreendeu que a sua hora chegara; sua visão estava velada, a perturbação a invadia, e ela experimentava todas as angústias da separação. Entretanto, custava-lhe morrer antes do retorno de seu marido. Fazendo sobre ela um supremo esforço, disse consigo mesma: "Não, eu não quero morrer!" Sentiu, então a vida renascer em si, e recobrou o pleno uso de suas faculdades. Quando seu marido retornou, disse-lhe: "Eu ia morrer, mas quis esperar que estivesses perto de mim, porque tenho ainda várias recomendações a te fazer." A luta entre a vida e a morte se prolongou assim durante três meses, que não foram senão uma longa e dolorosa agonia.

Evocação, no dia seguinte ao de sua morte. – Meus