O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO III 1502

bons amigos, obrigada por se ocuparem de mim; de resto, fostes para mim como bons pais. Pois bem! regozijai-vos, eu sou feliz. Tranquilizai meu pobre marido e velai sobre meus filhos. Fui para junto deles logo em seguida.

P. Parece que a sua perturbação não foi muito longa, uma vez que nos respondeis com lucidez. – R. Meus amigos, eu sofri tanto, e sabeis que sofri com resignação! Pois bem! Minha prova terminou. Dizeis que estou completamente desligada, não; mas não sofro mais, e é para mim um grande alívio! Por esta vez, estou bem radicalmente curada, eu vos asseguro, mas tenho necessidade de que me ajudem com o concurso da prece, para vir, em seguida, trabalhar convosco.

P. Qual pôde ser a causa de vossos longos sofrimentos? – R. Passado terrível, meu amigo.

P. Podeis dizer-nos qual foi esse passado? – R. Oh! Deixai-me esquecer um pouco; eu o paguei tão caro!

Um mês depois de sua morte. – P. Agora que deveis estar mais completamente desligada, e que vos reconheceis melhor, ficaríamos muito felizes tendo convosco uma conversa mais explícita. Poderíeis dizer-nos qual foi a causa de vossa longa agonia? Por que estivestes, durante três meses, entre a vida e a morte? – R. Obrigada, meus bons amigos, pela lembrança e por vossas boas preces! Quanto elas me são salutares e quanto contribuíram para o meu desligamento! Ainda tenho necessidade de ser sustentada; continuai a orar por mim. Compreendeis a prece, vós. Não são fórmulas banais que dizeis, como tantos outros que não se dão conta do efeito que produz uma boa prece.

Sofri muito, mas meus sofrimentos me são largamente contados, e me é permitido estar, freqüentemente, junto de meus queridos filhos, que deixei com tantas amarguras!

Eu mesma prolonguei os meus sofrimentos; o meu ardente desejo de viver para meus filhos fazia com que me aferrase, de alguma sorte, à matéria, e, contrariamente aos outros, obstinava-me e não queria abandonar esse infeliz corpo com o qual era necessário romper, e que, entretanto, para mim, era o instrumento de tantas torturas. Eis a verdadeira causa de minha longa agonia. Minha doença, os sofrimentos que suportei: expiação do passado, uma dívida a mais a pagar.