O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO III 1503

Ai de mim! Meus bons amigos, se vos escutara, que mudança na minha vida presente! Que abrandamento teria sentido nos últimos instantes, e quanto essa separação seria mais fácil se, em lugar de contrariá-la, me entregasse com confiança à bondade de Deus, à corrente que me arrastava! Mas, em lugar de considerar o futuro que me esperava, eu não via senão o presente que ia deixar!

Quando retornar à Terra, serei espírita, eu vos asseguro. Que ciência imensa! Assisto às vossas reuniões muito freqüentemente e às instruções que vos são dadas. Se pudera compreender quando estava na Terra, meus sofrimentos seriam bem abrandados; mas não era chegada a hora. Hoje, compreendo a bondade de Deus e à sua justiça; mas não sou, ainda, muito avançada para não mais me ocupar com as coisas da vida; meus filhos, sobretudo, a ela me prendem ainda, não mais para mimá-los, mas para velar sobre eles, e tratar que sigam a rota que o Espiritismo traça neste momento. Sim, meus bons amigos, ainda tenho graves preocupações; uma, sobretudo, porque o futuro de meus filhos dela depende.

P. Podeis nos dar algumas explicações sobre o passado que deplorais?

R. Ai de mim! Meus bons amigos, estou pronta para confessar-me. Desconheci o sofrimento; vi minha mãe sofrer sem dela ter piedade; tratei-a de doente imaginária. Nunca tendo-a visto acamada, supunha que ela não sofria, e ria de seus sofrimentos. Eis como Deus pune.

Seis meses depois de sua morte. – P. Agora que um tempo bastante longo decorreu, desde que deixastes o vosso envoltório terrestre, quereis nos descrever a vossa situação e as vossas ocupações no mundo dos Espíritos?

R. Durante a minha vida terrestre, eu era o que se chama, de um modo geral, uma boa pessoa, mas, antes de tudo, gostava de meu bem-estar; compassiva por natureza, talvez não fora capaz de um sacrifício penoso para aliviar um infortúnio. Hoje, tudo está mudado; sou sempre eu, mas o eu de antigamente sofreu modificações. Eu adquiri; vejo que não há nem classes nem condições outras que o mérito pessoal no mundo dos invisíveis, onde um pobre caridoso e bom está acima do rico orgulhoso que o humilhava sob a sua