O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO IV 1509

AUGUSTE MICHEL

(Le Havre, março de 1863.)

Era um moço rico, boêmio, gozando largamente e exclusivamente da vida material. Embora inteligene, a indiferença pelas coisas sérias era o fundo de seu caráter. Sem maldade, antes bom que mau, era querido pelos seus companheiros de prazer, e procurado na alta sociedade pelas suas qualidades de homem do mundo; sem ter feito o mal, não fizera o bem. Morreu de uma queda da viatura em um passeio. Evocado alguns dias depois de sua morte, por um médium que o conhecia indiretamente, deu, sucessivamente, as comunicações seguintes:

8 de março de 1863. – Estou apenas desligado de meu corpo; também posso dificilmente vos falar. A terrível queda que fez o meu corpo morrer, coloca o meu Espírito numa grande perturbação. Estou inquieto pelo que vou ser, e essa incerteza é cruel. O horrível sofrimento que meu corpo sofreu nada é em comparação com a perturbação em que estou. Orai para que Deus me perdoe. Oh! Que dor! Oh! Graças, meu Deus! Que dor! Adeus.

18 de março. – Já vim a vós, mas não pude vos falar senão dificilmente. Ainda neste momento, posso com dificuldade me comunicar convosco. Sois o único médium a quem posso pedir preces, para que a bondade de Deus me tire da perturbação em que estou. Por que sofrer ainda quando o meu corpo não sofre mais? Por que esta dor horrível, essa terrível angústia existe sempre? Pedi. Oh! Pedi para que Deus me conceda o repouso... Oh! Que cruel incerteza! Ainda estou ligado ao meu corpo. Não posso senão dificilmente ver onde posso estar; meu corpo está lá, e por que lá estou sempre? Venham orar sobre ele para que eu seja desligado dessa opressão cruel. Eu o espero, Deus quererá perdoar-me. Vejo os Espíritos que estão junto de vós e, por eles, posso vos falar. Orai por mim.

6 de abril. – Sou eu quem venho junto a vós, pedir-vos para orar por mim. Seria preciso vir sobre o lugar onde jaz o meu corpo, pedir ao Todo-Poderoso para acalmar os meus sofrimentos. Eu sofro! Oh! Eu sofro! Ide nesse lugar; é preciso e endereçai ao Senhor uma prece para que me perdoe. Vejo