O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO IV 1510

o lugar onde se depositou o que fui eu.

O médium, não se dando conta da insistência do Espírito que lhe solicitava ir orar sobre a sua tumba, negligenciara de fazê-lo. Todavia, para lá foi mais tarde, e ali recebeu a comunicação adiante:

11 de maio. – Eu vos esperava. Esperava o momento em que viríeis ao lugar onde o meu Espírito parece preso ao seu envoltório, implorar a Deus de misericórdia para que a sua bondade acalme os meus sofrimentos. Podeis fazer-me o bem com as vossas preces; não afrouxeis, isso vos suplico. Vejo o quanto a minha vida foi oposta ao que ela deveria ser; vejo as faltas que cometi. Fui um ser inútil no mundo; não fiz nenhum bom emprego de minhas faculdades; a minha fortuna não serviu senão para satisfazer as minhas paixões, os meus gostos de luxo e a minha vaidade; não pensei senão nos gozos do corpo, e não em minha alma. A misericórdia de Deus descerá sobre mim, pobre Espírito que sofre ainda pelas minhas faltas terrestres? Orai para que ele me perdoe, e que eu seja libertado das dores que sinto agora. Eu vos agradeço por ter vindo orar sobre mim.

8 de junho. – Posso vos falar, e agradeço a Deus por mo permitir. Vi as minhas faltas e espero que Deus me perdoará. Segui sempre vossa vida segundo a crença que vos anima, porque ela vos reserva para mais tarde um repouso que ainda não tenho. Obrigado pelas vossas preces. Adeus.

A insistência do Espírito para que se fosse orar sobre a sua tumba é uma particularidade notável, mas que tem a sua razão de ser considerando-se o quanto eram tenazes os laços que o retinham ao corpo, e quanto a separação era longa e difícil, em conseqüência da materialidade de sua existência. Compreende-se que, em se aproximando do corpo, a prece podia exercer uma espécie de ação magnética mais poderosa para ajudar o desligamento. O uso quase geral de se orar junto dos corpos dos falecidos, não viria da intuição inconsciente que se tem desse efeito? A eficácia da prece, neste caso, teria um resultado ao mesmo tempo moral e material.

LAMENTAÇÕES DE UM BOÊMIO

(Bordeaux, 19 de abril de 1862.)

30 de julho. – No presente sou menos infeliz, porque