O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO IV 1522

ainda morto ou vivo, e provastes todas as angústias de uma morte terrível; agora dai-vos melhor conta da vossa situação? – Dissestes, positivamente, que a vossa morte era uma expiação; quereis nos dizer a sua causa: isso será uma instrução para nós, e um alívio para vós. Por essa confissão sincera, atraireis a misericórdia de Deus, que solicitaremos em nossas preces.

Resposta. – Parece impossível, à primeira vista, que uma criatura possa sofrer tão cruelmente. Deus! como é penoso ver-se constantemente no meio das vagas em fúria, e sentir, sem cessar, essa amargura, esse frio glacial que aumenta, que oprime o estômago!

Mas, para que serve sempre vos entreter com tais espetáculos? Não devo começar por obedecer às leis do reconhecimento em vos agradecendo a todos vós, que tomais os meus tormentos num tal interesse? Perguntais se me comuniquei muito tempo depois de minha morte? Não posso responder facilmente. Pensai, e julgai em que horrível situação estou ainda! Entretanto, fui conduzido para junto do médium, eu creio, por uma vontade estranha à minha; e, coisa impossível de me dar conta, eu me servi de seu braço com a mesma facilidade com que me sirvo do vosso neste momento, persuadido de que me pertence. Sinto mesmo, neste momento, que é um gozo bem grande, assim como uma consolação particular que, ai! logo vai cessar. Mas, ó meu Deus! Teria uma confissão a fazer; terei força para isso?

Depois de muitos encorajamentos, o Espírito acrescentou: Sou bem culpado! O que sobretudo me dá pena é que se crê que sou um mártir; não é nada disso... Numa precedente existência, fiz meter num saco várias vítimas e lançar ao mar... Orai por mim!

Instruções de São Luís sobre esta comunicação:

Esta confissão será, para esse Espírito, uma causa de grande alívio. Sim, ele foi bem culpado! Mas a existência que acaba de deixar foi honrada; era amado e estimado por seus chefes; foi o fruto do seu arrependimento e das boas resoluções que tomou antes de retornar à Terra, onde quis ser humano tanto quanto foi cruel. O devotamento, do qual deu provas, era uma reparação, mas lhe era necessário resgatar