O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO IV 1528

o amor e a amizade. A própria paixão não alumiou os seus vislumbres sombrios. Comparo o seu estado presente ao de uma criança inábil para os atos da vida, e privada do socorro daqueles que a assistem. Félix erra, com pavor, nesse mundo estranho onde tudo resplandece ao clarão de Deus, que ele negou...

VIII. O guia do médium. – Claire não pôde continuar a análise dos sofrimentos de seu marido, sem senti-los também; vou falar por ela.

Félix, que era superficial nas idéias como nos sentimentos, violento porque era fraco, debochado porque era frio, entrou no mundo dos Espíritos moralmente nu, como o era no físico. Em entrando na vida terrestre, nada adquiriu, e, por conseqüência, tem tudo a recomeçar. Como um homem que desperta de um longo sonho, e que reconhece o quanto vã foi a agitação de seus nervos, esse pobre ser, saindo da perturbação, reconhecerá que viveu de quimeras que enganaram a sua vida; maldirá o materialismo que o fez abraçar o vazio, quando acreditava estreitar uma realidade; maldirá o positivismo que o fez chamar de fantasias as idéias de uma vida futura; as aspirações, loucuras, e a crença em Deus, fraqueza.O infeliz, em se despertando, verá que esses nomes zombados por ele eram a fórmula da verdade, e que, ao contrário da fábula, a caça da presa foi menos proveitosa que a da sombra.

GEORGES.

Estudos sobre as comunicações de Claire.

Estas comunicações, sobretudo, são instrutivas naquilo que nos mostram um dos lados mais vulgares da vida: o do egoísmo. Ali não estão esses grandes crimes que espantam, mesmo os homens perversos, mas a condição de uma multidão de pessoas que vivem no mundo, honradas e procuradas, porque têm um certo verniz, e não caem sob a vindita das leis sociais. Esses não são, não mais, no mundo dos Espíritos, castigos excepcionais, cujo quadro faça tremer, mas uma situação simples, natural, conseqüência de sua maneira de viver e do estado de sua alma; o isolamento, o desamparo, o abandono, eis a punição daquele que não viveu senão para si. Claire era, como se a viu, um Espírito