O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO IV 1532

constitui uma punição especial para casos determinados pela soberana justiça.

Perg. (a São Luís).De onde vem que a educação moral dos Espíritos desencarnados é mais fácil que a dos encarnados? As relações estabelecidas pelo Espiritismo, entre os homens e os Espíritos, deram oportunidade de se notar que estes últimos se conduzem mais rapidamente sob a influência de conselhos salutares do que aqueles que estão encarnados, assim como se vê pelas curas das obsessões.

R. (Sociedade de Paris.) – O encarnado, pela sua própria natureza, está num estado de luta incessante em razão dos elementos contrários de que está composto, e que devem conduzi-lo ao seu fim providencial, reagindo um sobre o outro. A matéria sofre facilmente o domínio de um fluido exterior; se a alma não reage com toda a força moral de que é capaz, ela se deixa dominar por intermédio de seu corpo, e segue o impulso de influências perversas das quais está cercada, e isso com uma facilidade tanto maior quanto os invisíveis que a oprimem ataquem, de preferência, os pontos mais vulneráveis, as tendências para a paixão dominante.

Para o Espírito desencarnado, ocorre tudo de outro modo; é verdade, ele ainda está sob uma influência semi-material, mas esse estado nada tem de comparável ao do encarnado. O respeito humano, tão preponderante para os homens, é nulo para ele, e esse pensamento não poderia obrigá-lo a resistir, por muito tempo, às razões que o seu próprio interesse mostra-lhe como boas. Ele pode lutar, e geralmente o faz com mais violência do que o encarnado, porque está livre, mas nenhuma visão mesquinha de interesse material, de posição social vêm entravar o seu julgamento. Ele luta por amor ao mal, mas adquire logo o sentimento de sua impotência diante da superioridade moral que o domine; a miragem de um futuro melhor tem mais acesso sobre ele, porque está no próprio caminho onde deve cumprir-se, e essa perseverança não se apaga pelo turbilhão dos prazeres humanos; em uma palavra, não estando mais sob a influência da carne, isso torna a sua conversão mais fácil, sobretudo quando adquiriu um certo desenvolvimento pelas provas que suportou. Um Espírito inteiramente primitivo seria pouco acessível ao raciocínio, mas ocorre de outro modo com aquele que já tem a experiência da vida. Aliás, no encarnado,