O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO V 1535

4. Quem vos empenhou para vir a nós? – R. Senti-me aliviado.

5. Que motivo vos levou a suicidar-se? – R. Estou eu morto?...Não, eu habito o meu corpo...Não sabeis o quanto sofro!...Eu me sufoco...Que mão complacente procure me matar!

6. Por que não deixastes nenhum traço que pudesse vos fazer reconhecer? – R. Eu estou abandonado; fugi do sofrimento para encontrar a tortura.

7. Tendes agora os mesmos motivos para permanecer desconhecido? – R. Sim; não coloqueis um ferro em brasa na ferida que sangra.

8. Quereis nos dizer o vosso nome, a vossa idade, a vossa profissão, o vosso domicílio? – R. Não... a tudo não.

9. Tínheis uma família, uma mulher, filhos?– R. Estava abandonado, nenhum ser me amava.

10. Que fizestes para não ser amado por ninguém? – R. Quantos o são como eu!... Um homem pode estar abandonado no meio de sua família, quando nenhum coração o ama.

11. No momento de concretizar o vosso suicídio, não sentistes nenhuma hesitação? – R. Eu tinha sede da morte... Esperava o repouso.

12. Como o pensamento do futuro não vos fez renunciar ao vosso projeto? – R. Não acreditava mais nele; estava sem esperança; o futuro é a esperança.

13. Que reflexões tivestes no momento em que sentistes a vida extinguir em vós? – R. Eu não refleti, eu senti... Mas a minha vida não está extinta... Minha alma está ligada ao meu corpo... Sinto os vermes que me roem.

14. Que sentimentos tivestes no momento em que a morte se completou? – R. Ela o está?

15. O momento em que a vida se extinguia em vós foi doloroso? – R. Menos doloroso que depois. Só o corpo sofreu.

16. ( Ao Espírito de São Luís.) Que entende o Espírito ao dizer que o momento da morte foi menos doloroso que depois? – R. O Espírito se descarregava de um fardo que o acabrunhava; sentia a volúpia da dor.