O CÉU E O INFERNO - SEGUNDA PARTE - EXEMPLOS - CAPÍTULO VI 1562

CAPÍTULO VI

CRIMINOSOS ARREPENDIDOS

VERGER

assassino do Arcebispo de Paris

No dia 3 de janeiro de 1857, Mons. Sibour, arcebispo de Paris, saindo da igreja de Saint-Étienne du Mont, foi ferido mortalmente por um jovem padre de nome Verger. O culpado foi condenado à morte e executado em 30 de janeiro. Até o último momento, não testemunhou nem lamento, nem arrependimento, nem sensibilidade.

Evocado no mesmo dia de sua execução, deu as respostas seguintes:

1. Evocação. – R. Estou ainda retido no meu corpo.

2. É que a vossa alma não está inteiramente desligada de vosso corpo? – R. Não... tenho medo... eu não sei... Esperai que eu me reconheça... eu não estou morto, não é?

3. Arrependei-vos do que fizestes? – R. Errei em matar; mas fui empurrado pelo meu caráter que não podia sofrer humilhações... Evocar-me-eis uma outra vez.

4. Por que já quereis ir? – R. Teria muito medo se o visse; temeria que ele fizesse o mesmo comigo.

5. Mas nada tendes a temer, uma vez que a vossa alma está separada do vosso corpo; afastai toda inquietação: ela não é razoável. – R. Que quereis? Sempre sois senhor de vossas impressões?... Não sei onde estou... eu sou louco.